Excesso

Ficar sentado é um dos principais fatores de risco para problemas musculoesqueléticos

Confira a lista dos erros mais comuns relacionados à postura incorreta

10:52 · 16.05.2018 / atualizado às 12:51
sentado
Estudos mostram que quanto maior o tempo que ficamos sentado, maiores os riscos de desenvolver doenças crônicas ( Foto: Divulgação )

Você já parou para pensar quanto tempo você fica sentado por dia? Em um cálculo rápido, se contabilizarmos o tempo de ida e volta ao trabalho, o horário de trabalho, o horário das refeições e as horas em frente a TV,  podemos chegar na média de 11 horas ou mais. Em um dia que tem 24 horas, no qual se dorme em média 8 horas, o tempo que ficamos de pé é de cerca de 5 horas ou menos, dependendo do caso. 

Entretanto, o corpo humano não foi feito para ficar parado e muito menos sentado tantas horas. Estudos mostram que quanto maior o tempo que ficamos sentados, maiores os riscos de engordar e desenvolver doenças crônicas. Mas, além de todos os malefícios de ficar sentado, a questão é que as pessoas se sentam da forma errada, o que agrava ainda mais o problema.

Segundo a fisioterapeuta Walkiria Brunetti, o corpo acaba se acostumando com as posturas incorretas, porque o cérebro também se adapta. “Chega um momento em que o cérebro entende que aquela postura está boa ou se tornou um hábito para aquela pessoa porque não a incomoda. Mas, os efeitos da má postura irão se acumular e podem causar sérios problemas na saúde musculoesquelética”. Confira a lista dos erros mais comuns apontados pela fisioterapeuta: 

Sentar-se sobre uma das pernas

Segundo  esta postura é ruim para a saúde musculoesquelética. Isso porque a posição sobrecarrega joelhos, quadris e coluna. Leva a um desgaste maior das articulações dos joelhos, principalmente, e ao encurtamento dos músculos dos quadris, coxas e coluna. “Também pode levar à contratura, um processo inflamatório que leva a dores musculares. Além de todos esses malefícios, mulheres com tendências a varizes devem ficar atentas, pois essa posição prejudica a circulação sanguínea nas pernas e pode agravar o quadro”, adiciona Walkiria. 

Pernas cruzadas

Pode até parecer elegante, mas pode ocasionar prejuízos para o corpo. “Prejudica os quadris, podendo levar a um desvio, como também ao encurtamento da musculatura da bacia. Também pode causar dor no nervo ciático e afeta a circulação de sangue nas pernas, aumentado a chance de desenvolver varizes”, diz a fisioterapeuta.

Borda da cadeira

Quem nunca sentou na beirada da cadeira para achar certo conforto depois de horas sentado? Entretanto, sentar assim é prejudicial para a coluna, podendo causar um processo inflamatório nos músculos do core (que estabilizam a coluna). “Outro ponto é que esta posição comprime muito a área do cóccix, podendo causar dores na região. A chance de curvar-se para frente também é maior, piorando a cifose (corcunda)”, explica Walkiria.

Altura inadequada

Segundo a fisioterapeuta, a altura da cadeira, principalmente para usar o computador ou estudar, é fundamental para prevenir dores musculares. Cadeiras em posição muito alta, sem deixar os pés tocarem o chão; ou cadeiras muito baixas, que forcem as pernas contra o chão, são prejudiciais. Aqui as dores podem afetar pescoço, ombros, braços, pernas e costas.

Sem apoio nas costas

 “Sem o apoio correto para a coluna, as dores podem afetar o pescoço, costas e até mesmo o braço. Quando a pessoa tende a vir para frente, também piora a corcunda (cifose), assim como a musculatura abdominal pode ficar mais flácida, dando o aspecto de saliência para a barriga”, diz.  

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.