Sal de cozinha

Falta de iodo pode causar hipotireoidismo

A substância é a matéria-prima que a tireoide utiliza para produzir os hormônios T4 e T3

16:00 · 17.04.2018
sal de cozinha
A principal fonte de iodo é o sal de cozinha ( Foto: Divulgação )

O Nordeste brasileiro apresenta dados próximos do excesso de consumo de iodo. É o que revela a Pesquisa Nacional para Avaliação do Impacto da Iodação do Sal, publicada em dezembro de 2016, que traça o panorama do estado nutricional de iodo no Brasil.

O iodo é a matéria-prima que a tireoide utiliza pra produzir os hormônios T4 e T3. A falta ou carência de iodo pode levar a uma diminuição na síntese dos hormônios tireoideanos, levando ao hipotireoidismo, em variados graus (subclínico e clínico) além de implicar em maiores chances de bócio endêmico (o aumento do volume da tireoide).

“O hipotireoidismo em gestantes, que pode levar a sérias complicações obstétricas, parto prematuro e até aborto. Para o feto, há consequências neurológicas muitas vezes irreversíveis, além de retardo no crescimento e no desenvolvimento do sistema nervoso central”, explica o endocrinologista Dr. Helton Estrela Ramos.

O excesso de iodo também é prejudicial pra saúde: aumenta o riso de Tireoidite de Hashimoto, que é uma doença autoimune da tireoide, além de estar correlacionado com o aumento dos casos de câncer da tireoide.

Sal de cozinha 

A principal fonte de iodo é o sal de cozinha, encontrado nas refeições, cuja iodação é fiscalizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). E atenção: o sal deve ser adequadamente guardado e armazenado, pois o calor e a umidade elevados podem levar à perda de concentração de iodo.

Alimentos derivados do mar, como peixes e crustáceos, também são boas fontes além do sal. Populações que crescem longe de áreas litorâneas ou cujos alimentos são cultivados em solo pobre vão apresentar maior de deficiência de iodo.

‘Avanços na Genética dos tumores pediátricos e implicações clínicas’, ‘Disfunção tireoidiana no idoso - Quando e como tratar’, ‘Efeitos dos hormônios tireoidianos no metabolismo lipídico, glicídico e no coração’, ‘Reflexos moleculares e metabólicos da ação dos desreguladores endócrinos’, são alguns dos temas que estarão em discussão durante o 18° Encontro Brasileiro de Tireoide, evento multidisciplinar e interativo que vai ocorrer de 19 a 22 de abril, em São Paulo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.