Proteção

Excesso de calor pode degradar colágeno e envelhecer a pele

O aquecimento aumenta a produção de radicais livres, gerando um déficit energético ao corpo

12:00 · 21.12.2017
calor
Ambientes com temperatura elevada como uma cozinha, uma sala abafada, ou um carro fechado podem ser tão nocivos quanto a exposição solar ( Foto: Divulgação )

A exposição direta ao sol, sem uso de protetor solar, é responsável por fotoenvelhecimento, queimaduras, manchas, entre outros problemas, mas os perigos podem estar além da exposição solar. Ambientes com temperatura elevada como uma cozinha, uma sala abafada, ou um carro fechado também são nocivos à pele. Sem proteção adequada, os radicais livres são formados e danificam as camadas da pele. “A radiação infravermelho A é traduzida na forma de calor, então não é somente durante a exposição solar que temos danos, ocorre também em ambientes quentes e abafados”, explica a Farmacêutica e Consultora Técnica da Biotec, Mika Yamaguchi. 

Essa radiação, segundo a consultora, chega às camadas mais profundas gerando radicais livres em todas elas. “O infravermelho A causa o fotoenvelhecimento e também a degradação do colágeno. Ao mesmo tempo, há um déficit energético, pois aumenta a produção de radicais livres no interior da mitocôndria. Então, precisamos de uma proteção além dos filtros solares, uma proteção nas camadas mais profundas”, completa.  

Uma proteção profunda é necessária, devido ao fato de que os fotoprotetores existentes não protegem as células da pele completamente contra os raios UVA e Infravermelho A. De acordo com a farmacêutica, um ponto importante na escolha do antioxidante é que durante o processo de neutralização dos diversos tipos de radicais livres, ele não pode formar produtos subtóxicos ou tóxicos. “É importante que ele forme subprodutos neutros e que sejam eliminados pelo organismo”, afirma.

Sintomas

Provocados pelo calor em excesso, os sintomas variam de acordo com a pessoa. Um mal estar pode estar associado tanto à pressão alta quanto baixa. "A pressão tende a subir quando está muito calor, mas também pode ocorrer o contrário, quando há choque de calor e desidratação", diz o médico.

Além do mal estar, dor de cabeça, alteração de visão e náusea são sintomas de que o corpo está entrando em hipertermia. "Em momentos como este a indicação é procurar uma área mais fresca e com menos calor e bastante ventilação. Se estiver em casa, faça compressas de água gelada na nuca. Se essas medidas não melhorarem os sintomas é preciso procurar um médico", orienta.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.