12 passos

Estudo analisa o método dos Alcoólicos Anônimos

Artigo aponta que, mesmo quando comparado às intervenções de última geração, método produziu resultados significativos no que se refere à abstinência sustentada

15:00 · 11.04.2018
Alcoolismo
Pesquisa conclui que, em geral, o Alcoólicos Anônimos confere benefícios por meio de mecanismos, mas, em particular, pela facilitação de mudanças sociais adaptativas e da abstinência ( Foto: Divulgação )

Um artigo publicado no periódico Addiction analisou o modelo dos 12 passos, utilizado pelos Alcoólicos Anônimos (AA). Divulgada pelo Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA), a publicação destaca que, mesmo quando comparado às intervenções de última geração, o método produziu resultados positivos, no que se refere à abstinência sustentada e à remissão, além de proporcionar menores custos de cuidados de saúde.

Resultado de uma revisão de 25 anos de pesquisas sobre os seus benefícios e mecanismos de mudança de comportamento frente ao álcool, o artigo conclui que, em geral, o AA confere benefícios por meio de mecanismos, mas, em particular, pela facilitação de mudanças sociais adaptativas e da abstinência. A importância relativa desses mecanismos varia de acordo com o grau de dependência, o gênero e a idade.

Grau de dependência

Aqueles com menor grau de dependência foram favorecidos predominantemente por mecanismos sociais. Nos casos mais graves de dependência, os benefícios se deram pelo aumento da espiritualidade/religiosidade para lidar com os efeitos negativos da abstinência.

Gênero

Os homens se beneficiaram do AA no enfrentamento de situações sociais de alto risco, ou seja, onde há disponibilidade de bebidas alcoólicas. Já no caso das mulheres, o método ajudou a reduzir o risco de recaída, aumentando a sua capacidade de resistir aos efeitos negativos da abstinência.

Idade

Para os jovens adultos (18-29 anos), os benefícios foram principalmente relacionados ao convívio social, especialmente no que se refere ao afastamento de grupos de bebedores pesados. Entre adultos mais velhos (acima dos 30 anos), o AA foi mais importante para a adoção de hábitos de consumo de baixo risco e até mesmo a abstinência.

O Alcoólicos Anônimos é uma organização de ajuda mútua de recuperação para dependentes de álcool com mais de 82 anos de fundação e reúne mais de dois milhões de membros no mundo. Seu principal objetivo é estimular a participação dos indivíduos nos encontros, resultando em envolvimento ativo dos pacientes. Além disso, o aumento da espiritualidade também pode explicar o menor índice de depressão entre indivíduos com transtorno por uso de álcool que frequentam os encontros do AA.

De acordo com o presidente executivo do CISA, Dr. Arthur Guerra, o aspecto “confessional” das reuniões, com relatos públicos da própria vida, cria condições para o desenvolvimento de uma reparação e melhora de autocuidados, evitando lugares e situações que estimulem novamente o uso de álcool.

“Os grupos de ajuda mútua são um interessante recurso de apoio que pode ser acionado a qualquer momento pelas centenas de unidades espalhadas no Brasil e no mundo. É sobretudo mais relevante para indivíduos que têm algum tipo de crença espiritual e aqueles que não podem arcar com os custos de um tratamento médico”, destaca o psiquiatra e especialista em dependência química. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.