Saúde

Epilepsia: dieta cetogênica auxilia pessoas com o transtorno

Melhoras cognitivas e mais sociabilidade são detectadas após o regime

11:22 · 24.09.2015

Apesar de ter apresentado eficiência no combate à epilepsia, é necessário cuidado ao fazer a dieta cetogênica. Terapêutica e indicada e calculada com base na altura, idade e peso ideal, esta dieta é rica em gorduras, moderada em proteínas e pobre em carboidratos.

Neste tipo de regime, o organismo utiliza a gordura como fonte de energia e distribui corpos cetônicos pelo sangue, ajudando no combate às crises epilépticas. 

A professora Estela Rabito, da Univeridade Federal do Paraná (UFPR), explica que a dieta deve ser aplicada em ambiente ambulatorial, com o acompanhamento multidisciplinar.

“Tem sido cada vez mais difícil encaminhar pacientes aos profissionais, pois ainda falta conhecimento sobre esse tipo de regime. Além disso, ele possui muitas complicações”, explica.

Suplementação é importante

Pobre em carboidratos, a dieta cetogênica deve estar sempre aliada a uma suplementação de minerais e vitaminas. Dessa forma, nenhum nutriente essencial fica ausente do corpo dessas pessoas.

Segundo Estela Rabito, os resultados do regime têm sido satisfatórios. “É possível notar melhoras cognitivas, de atenção e também na sociabilidade dos pacientes”, explica.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.