Todas as idades

Endoscopia pode ser exame de rotina para crianças

Anestesia também é utilizada antes do procedimento direcionado a essa faixa etária

A endoscopia também é utilizada para diagnosticar alguns problemas como dores abdominais, vômitos e dificuldade de deglutição ( Foto: Divulgação )
09:06 · 09.01.2018 / atualizado às 10:48
Utilizado para o diagnóstico e tratamento de diversas doenças, o exame endoscópico é realizado em adultos e crianças. Visando a melhoria na saúde dos pequenos, esse procedimento pode ser prescrito como exames de rotina, além de situações de urgência – nestes casos, são indicados principalmente quando há ingestão acidental de corpos estranhos, como moedas e pedaços de brinquedos. Além disso, os pais também recorrem ao exame para episódios de sangramento digestivo.

Para sua realização, é necessário que inicialmente a criança seja submetida à anestesia ou sedação. Em posição lateral, o exame acontece seguindo o mesmo protocolo do adulto. Coloca-se um protetor bucal, a fim de impedir que a boca seja fechada, e, em seguida, insere-se o esofagogastroduodenoscópio, aparelho responsável pela visualização da faringe até o intestino.

Além disso, a endoscopia também é utilizada para diagnosticar alguns problemas como dores abdominais, vômitos, dificuldade de deglutição e diarreia crônica. O mesmo procedimento tem função terapêutica nos casos de locais hemorrágicos ou com potencial hemorrágico, por exemplo.

Para tirar dúvidas frequentes a respeito deste procedimento, a Dra. Silvia Regina Cardoso, presidente do Núcleo de Pediatria da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), fala um pouco sobre sua recomendação. “A endoscopia digestiva alta pode ser realizada em todas as idades, inclusive em recém-nascidos e crianças com baixo peso. Os equipamentos utilizados são geralmente os mesmos utilizados para pacientes adultos”, explica.

Preparação

Para a endoscopia digestiva alta, normalmente o único preparo necessário é o jejum, que varia de acordo com a idade da criança e o tipo de alimentação. Por exemplo, para crianças em aleitamento materno exclusivo é necessário jejum de 4 horas, já para maiores de três anos é necessário jejum de 8 horas para alimentos sólidos e de três horas para a maioria dos alimentos compostos por líquidos claros. 

“Diferentemente dos adultos, o exame é normalmente realizado sob anestesia geral, que apresenta curta duração, e o paciente tem alta poucas horas após o procedimento, sendo bastante seguro”, conclui.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.