Estudo

Cearenses com diabetes buscam manter hábitos alimentares saudáveis

Pesquisa afirma que 89% dos entrevistados, em Fortaleza, procuram realizar as principais refeições

09:33 · 13.11.2017
prato saudável
Ignorar uma refeição pode afetar negativamente o nível da glicemia, especialmente para quem administra insulina ( Foto: Divulgação )

Uma pesquisa feita com 480 diabéticos, de oito capitais brasileiras, aborda a conquista e manutenção da saúde. Entitula-do “Empoderamento do Paciente – importância e desafios”, o estudo revelou que um dos principais focos dos cearenses com diabetes tem sido a alimentação diária. Eles procuram realizar as principais refeições (89%) e beber de 6 a 8 copos de água por dia (94%).

A pesquisa mostra ainda que, para se sentirem mais empoderados no cuidado da própria saúde, os entrevistados acreditam que é necessário melhorar o estilo de vida atual (69%) e ter mais acesso a informações sobre a doença (32%). Outro destaque foi que a descoberta do diagnóstico do diabetes foi muito importante para uma mudança de atitude dos cearenses, que passaram a ir mais regularmente ao médico (75%), alimentar-se melhor (71%) e dedicar mais tempo para si (65%).

O levantamento ocorreu entre os dias 2 e 20 de junho de 2017, com homens e mulheres acima de 18 anos, das capitais de todas as regiões brasileiras (Manaus e região metropolitana, Fortaleza, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre).

A nutricionista e Gerente Científico da Divisão Nutricional da Abbott no Brasil, Patrícia Ruffo, orienta algumas dicas simples. Algumas delas já estão entre as metas dos cearenses:

Hora certa

Não pule refeições e não fique em jejum durante longos intervalos. Ignorar uma refeição pode afetar negativamente o nível da  glicemia, especialmente para quem  administra insulina.

Ao fazer uma refeição, é bom ter como objetivo encher metade do prato com legumes e ou verduras (brócolis, cenouras, espinafre). A outra metade pode ser dividida em um quarto de grãos (arroz integral ou lentilha), ou até mesmo por opções como a batata-doce; e o quarto final com proteína magra (peixe, perú ou frango sem pele).

Mantenha-se hidratado

Beber água é importante para a saúde geral e bem-estar, mas novas pesquisas mostram que a bebida também pode ajudar com as calorias que consumimos. Além disso, a escolha da água pode ser útil para limitar outras bebidas açucaradas que são tentadoras.

Carboidratos

Os alimentos ricos em carboidratos podem fornecer muitos nutrientes bons. No entanto, em comparação com as gorduras e proteínas, os carboidratos têm o maior impacto sobre a glicemia. É por isso que é importante escolher os carboidratos sabiamente e optar por alimentos com baixo índice glicêmico - carboidratos que são lentamente digeridos e não afetam os níveis de glicemia. 

Porções

No controle da glicemia é importante verificar não apenas o que, mas também o quanto se come. Algumas orientações simples para estimativa de porções podem ajudar bastante: 1 xícara = uma mão fechada e 1 colher de sopa = o dedo polegar.

Diminua a velocidade

O cérebro demora cerca de 20 minutos para avisar o estômago da sensação de saciedade. Quando as refeições são consumidas lentamente, as pessoas comem significativamente menos calorias do que aquelas que comem rápido. Para ajudar a diminuir a velocidade ao comer, a dica é mastigar lentamente.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.