Qualidade de vida

Após os 60 anos é necessário investir em exercícios físicos

Hábito esportivo, com supervisão profissional, melhora a saúde e atua como terapia na socialização entre pacientes

13:09 · 28.02.2018
Exercício idosos
A liberação médica antes de começarem as atividades físicas é necessária ( Foto: Divulgação )

A prática de exercícios físicos é recomendada para todas as idades, mas após os 60 anos passa a ser uma necessidade. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de idosos triplicará no Brasil em 2050. Isso representará quase 30% da população no país. Os dados ressaltam a necessidade de alertar a população sobre qualidade de vida e isso está diretamente relacionado a prática de exercícios físicos sob orientação profissional.

O cardiologista Everton Dombec explica os benefícios dos exercícios, principalmente para os que têm mais de 60 anos de idade. "A atividade física contribui para a melhora dos níveis de colesterol, triglicerídeos e de glicose sanguínea (diabetes). Com o fortalecimento muscular, as dores articulares secundárias, artrites e artroses, também podem ser minimizadas. Além disso, ajuda a controlar a obesidade, melhora a flexibilidade, aumenta a capacidade aeróbica e ameniza as chances de doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC), principais causas de mortes no Brasil", analisa o especialista.

Além disso, é importante ter a liberação médica antes de começarem as atividades físicas, destaca Rafael Macedo, coordenador da Academia do Coração do Hospital Cardiológico Costantini. O profissional explica que as aeróbicas como caminhar, pedalar, correr, nadar e exercícios de musculação, para combater a sarcopenia (perda de massa muscular), são os mais indicados após os 60 anos de idade.

"O coordenador enfatiza que a doença cardiovascular surge pela exposição do organismo a dois grandes grupos de fatores de risco, os modificáveis e os não modificáveis. Dentre os não modificáveis destacam-se a idade, o sexo (homens tem maior prevalência) e histórico familiar. Entre os modificáveis destacam-se a hipertensão, dislipidemia, diabetes, sedentarismo, obesidade, estresse, tabagismo e alcoolismo.

"Se o individuo tem mais de 60 anos e possui um fator de risco passa a ser ainda mais importante fazer exercícios. Com isso, vai melhorar sua a aptidão músculo esquelética , fundamental para a manutenção da independência funcional.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.