Ponto inicial

Ansiedade evolui para depressão em 24% dos casos

Tristeza, falta de concentração e pensamento acelerado são alguns dos principais indícios do caso

09:00 · 09.02.2018
depressão
Pesquisas indicam que o diagnóstico da depressão pode demorar até um ano para ser feito ( Foto: Divulgação )

Sintomas de depressão e ansiedade podem surgir ao mesmo tempo. Pensamento acelerado, tristeza e falta de concentração são alguns dos principais indícios. Em alguns casos, o estresse pode ser o ponto inicial de todo o problema. “ Em 24% dos casos, a ansiedade evolui para a depressão e em apenas 2% dos casos a depressão vai evoluir para um quadro ansioso”, afirma a psicóloga Fernanda Queiroz.

Estima-se que metade dos pacientes com Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG) irá desenvolver o Transtorno Depressivo Maior (TDM). Além disso, a ansiedade costuma preceder a depressão. “Os quadros ansiosos depressivos são muito comuns. A nossa maior preocupação é que a associação da ansiedade com a depressão torna a condição mais grave”, comenta Fernanda.

A psicóloga explica que quando o paciente apresenta as duas condições, os sintomas costumam ser mais severos. “O simples fato das doenças coexistirem já torna o quadro mais crônico, atrasa a recuperação e aumenta a taxa de recaída após o tratamento. Além disso, estudos mostram que há maior necessidade de hospitalização e maior número de tentativas de suicídio. Portanto, quando a ansiedade e depressão se manifestam juntas impactam negativamente em todos os sentidos”.

Indícios

Os sintomas da depressão e da ansiedade podem ser muito parecidos. “Mudanças no apetite, no sono, cansaço, aperto no peito, pensamentos acelerados, problemas gastrointestinais, dificuldade de concentração, problemas de memória, perda do desejo sexual, inquietude, medo, irritabilidade, tristeza, choro, angústia. Lembrando que os sintomas podem ser físicos e cognitivos”, comenta Fernanda.

Primeiro passo

Pesquisas indicam que o diagnóstico da depressão pode demorar até um ano para ser feito. Hoje, já existem medicamentos antidepressivos que melhoraram os sintomas ansiosos. Além da terapia medicamentosa, é preciso procurar uma psicoterapia, seja individual ou em grupo. Uma das abordagens mais usadas para tratar a depressão e a ansiedade é a Terapia Cognitiva Comportamental (TCC).

“O mais importante é procurar ajuda. A saúde mental é tão importante quanto a saúde física. E ficar atento, principalmente, ao nível de estresse, que como vimos pode evoluir para a depressão e a ansiedade ou para as duas”, finaliza.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.