Substituição

Alergistas orientam sobre consumo do leite de vaca

Os profissionais afirmam que restrições devem ocorrer somente se confirmado o diagnóstico preciso de alergia

09:48 · 14.03.2018
leite de vaca
A maioria das crianças com alergia ao leite tem indícios envolvendo um ou mais órgãos, principalmente o trato gastrointestinal e a pele ( Foto: Divulgação )

A restrição do leite de vaca deve ocorrer somente diante do diagnóstico preciso de alergia à proteína do leite de vaca (APLV), é o que afirmam especialistas da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Eles advertem que muitas crianças estão deixando de consumir o alimento sem a confirmação da alergia alimentar e como substituição estão recebendo os leites vegetais, como o de arroz e amêndoas, que são nutricionalmente pobres. O leite de arroz apresenta alta concentração de arsênico inorgânico, por exemplo.

Para evitar restrições desnecessárias é preciso atenção aos sintomas da APLV. A maioria das crianças afetadas tem indícios envolvendo um ou mais órgãos, principalmente o trato gastrointestinal e a pele. Entre 50% e 70% apresentam sintomas cutâneos, 50% a 60% gastrointestinais e 20% a 30% sintomas respiratórios.

Além disso, durante a consulta, o médico deve avaliar a história clínica, bem como: O alimento e a quantidade; O intervalo entre a ingestão e os sintomas clínicos; A reprodutibilidade dos sinais e sintomas em diferentes ocasiões; A presença de fatores associados e quando ocorreu a última reação.

“O tratamento de APLV deve ser individualizado. Incentivar o aleitamento materno é essencial para a prevenção de alergias futuras e deve ser feito antes de oferecer à criança qualquer tipo de fórmula infantil. Caso seja comprovada a alergia alimentar, é importante ressaltar que a privação do alimento em questão deve ser suprida adequadamente com suplementações alimentares ou medicamentosas, sempre sob a orientação e acompanhamento dos especialistas em alergia e nutrição”, ressalta a Dra. Renata Cocco, coordenadora do Departamento de Alergia Alimentar da ASBAI.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.