Causas

Olheiras podem ter histórico familiar

Quem sofre com as temidas olheiras sabe: basta uma noite mal dormida para que fiquem mais evidentes

Após a esfoliação com o peeling, a realização da corrente russa estimula a tonificação da musculatura na região ( Foto: Vitória Régia )
00:00 · 31.03.2018 / atualizado às 00:17

A região escurecida ao redor dos olhos popularmente denominada de olheiras é algo que incomoda consideravelmente boa parte da população feminina.

Segundo a fisioterapeuta dermatofuncional Anna Christina Henriques, apesar de as manchas se tornarem mais visíveis quando o portador passa por situações de estresse ou teve poucas horas de sono, o surgimento das olheiras geralmente tem herança genética. Fatores como a localização superficial dos vasos e a melanina que dá cor à pele são preponderantes.

Alguns incidentes considerados pela dermatofuncional como reforçadores das olheiras são quando a pessoa força a visão, passando muito tempo diante do computador. "Essa atitude promove uma vasodilatação na área e se por acaso os vasos já forem superficiais a região ficará ainda mais escurecida", esclarece Anna Christina Henriques.

Outro agravante está relacionado ao uso não apropriado de fotoproteção. De acordo com a especialista, quanto mais escura a pele, maior é a quantidade de melanose. E nesse caso, a incidência de radiação solar provocada pela falta de proteção possibilita maior pigmentação da região.


Com o envelhecimento da pele na região dos olhos, algumas células ficam com respostas mais lentas. Além disso, a flacidez muscular fica mais acentuada. Isso acontece por conta da hipotonia do músculo perder a sustentação e deixar a área mais herniada. "A falta de colágeno também contribui para que a pele fique frouxa e as olheiras mais acentuadas", revela.

Prevenção

Pelo fato de as olheiras serem reconhecidas por profissionais como hereditárias, para Anna Christina, a avaliação precoce é importante para preveni-las. Ou seja, quando a pessoa observar que a pele tem uma tendência maior à flacidez ou manchas, cuidados com a proteção solar e a realização de alguns procedimentos estéticos destinados a clarear a região são fundamentais.

Os peelings são métodos de esfoliação bastante recomendados no tratamento das olheiras. Eles podem ser aplicados nas versões químicas, mecânicas e de cristal. A indicação deve ser de acordo com a sensibilidade de cada pele e a região mais pigmentada. "Ambos previnem e amenizam as olheiras. Isso porque eles clareiam as manchas, estimulam a produção do colágeno, melhoram a refração da pele e trabalham com exercícios para fortalecer a musculatura.

No caso do envelhecimento da pele, no qual é observado o aparecimento de olheiras, o tratamento com o peeling pode ser associado ao uso da radiofrequência que estimula a produção, reorganização da fibra de colágeno e ameniza a flacidez da pele.

Outra opção é a junção da corrente russa que realiza a eletroestimulação muscular, reduzindo a flacidez da musculatura. Para potencializar os resultados, a profissional diz que os três procedimentos podem ser aplicados seguidamente, uma vez por semana. Dessa forma, a pele ganha firmeza, fica tonificada e visivelmente mais clara.

Dever de casa

"Compressas com chá de camomila e rodelas de pepino geladas, principalmente antes da maquiagem, amenizam as manchas e conferem melhor resposta à maquiagem", afirma Anna Christina Henriques.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.