Raízes tuberosas

Mais batata-doce, cenoura e beterraba

Além da maneira de preparar, o índice e a carga glicêmicos devem ser levados em consideração

00:00 · 25.08.2018

Elas costumam estar na mesa de quem faz boas escolhas para a saúde. Raízes tuberosas, como cenoura, beterraba e batata-doce, trazem em sua composição pigmentos antioxidantes (betacaroteno e antocianinas) que protegem contra a ação de radicais livres (em excesso, essas moléculas podem ser tóxicas ao organismo). Também agem no sentido de salvaguardar de danos ao DNA (ácido desoxirribonucleico), importante no combate a doenças crônicas não transmissíveis como câncer.

> Reserva de nutrientes
 
Da mesma forma, o trio é fonte de vitaminas do complexo B e C, essenciais para a manutenção do sistema imunológico. No caso da beterraba, em especial para quem pratica atividade física, deve-se destacar seu efeito vasodilatador causado pela presença do nitrato em sua composição, afirma a nutricionista Karine de Holanda Frota, mestre em Nutrição em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública (USP).

info

Inglesa x doce

Elas costumam estar lado a lado na gôndola do supermercado. Mais que preferência, a escolha entre batata inglesa ou batata-doce deve observar alguns fatores: índice glicêmico- IG (velocidade de um carboidrato ser absorvido pelo organismo e transformar em glicose no sangue), carga glicêmica- CG (qualidade e quantidade de um carboidrato presente num alimento), a forma de preparo e a porção a ser consumida.

Karine Frota cita como exemplo a batata-doce, que tem um IG de 60, enquanto a inglesa é de 95 (ambas são cozidas). "Assim, se você comer uma quantidade pequena de batata inglesa cozida associada com gordura (azeite) ou outros vegetais ricos em fibras, essa refeição passa a ter um baixo IG. E se fritar a batata-doce ou assá-la seu IG passa a ser mais alto". O mesmo acontece no caso da macaxeira.

Apesar da macaxeira cozida fornecer mais calorias do que a batata inglesa cozida, a primeira possui menor índice glicêmico, favorecendo um aumento mais lento da glicose sanguínea, o que contribui para uma maior sensação de saciedade. (Colaborou Tainã Maciel)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.