comportamento

Gravidez tardia compromete a fertilidade

"Movimento da Fertilidade" ajuda a conscientizar homens e mulheres sobre o ciclo reprodutivo

00:00 · 16.06.2018

Ao considerar a vida profissional e acadêmica como prioridade, muitos casais adiam o projeto de ter filhos e colocam a fertilidade em risco. "Essa parcela da população desconhece as chances de o resultado ser bem sucedido. Queremos propagar essa mensagem porque a idade é um fator para a fertilidade. Ao longo da vida, os óvulos envelhecem, e a produção de espermatozoides perde qualidade", explica o presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, Hitomi Nakagawa.

Além do avanço na idade (em ambos os sexos), o ciclo reprodutivo pode ser comprometido pelo tabagismo, o sedentarismo e por doenças como a endometriose, causada pela presença de fragmentos do endométrio (parte interna do útero) fora do útero.

A Organização Mundial da Saúde considera infértil um casal que mantém relações sexuais (sem métodos contraceptivos) durante 12 meses sem engravidar. A estimativa é de que existam mais de 50 milhões de pessoas no mundo nessa condição; cerca de oito milhões são brasileiros.

Campanha

Para conscientizar jovens em idade reprodutiva, de 20 a 35 anos, sobre a importância de preservar a fertilidade natural e as limitações do ciclo reprodutivo, será lançado o Movimento da Fertilidade, que acontece neste sábado, na Avenida Beira Mar, de 8 às 11 horas, em frente ao Jardim Japonês. A iniciativa, informa o médico especialista em reprodução assistida, Dr. Fábio Eugênio Rodrigues, orientará os que desconhecem os riscos de uma gravidez tardia.

Endometriose

A infertilidade acomete de 30% a 40% das mulheres com endometriose. Conforme o Dr. Fábio Eugênio Rodrigues, a taxa de gravidez natural chega a 50% dos casos. Ele ressalta que não existe comprovação científica que relacione a endometriose com complicações para a mãe e o bebê.

Nas mulheres que não possuem problemas nas tubas uterinas (e o espermograma do marido é normal), a opção da inseminação artificial é viável. Em pacientes com a endometriose severa é indicada a Fertilização In Vitro (os embriões já fecundados são inseridos no útero, uma vez que a doença dificulta a captação do óvulo pelas tubas uterinas).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.