tratamento

Exercícios aeróbicos melhoram os sintomas

A panturrilha é o principal local de bombeamento de sangue. Sua contração deve ser fortalecida

00:00 · 07.07.2018
Image-0-Artigo-2422310-1
Djalma Melo foi submetido ao procedimento não invasivo (injeção de espuma) para tratar as varizes na região da panturrilha ( Foto: Kleber A. Gonçalves )

Ativo por natureza e adepto da prática regular de futsal, corrida e caminhada, o bancário Djalma Alcântara Melo, 57 anos, foi surpreendido com dores na região da panturrilha, também conhecida como 'batata' ou 'barriga' da perna. "Ao praticar atividade física, percebi a saliência de varizes (veias) na perna direita. Estava diminuindo meu rendimento devido a dor", explica.

A ocorrência de varizes causadas por esforço físico não é algo frequente, muito menos em homens, cuja incidência de insuficiência venosa crônica é sempre menor que em mulheres. Mesmo assim, segundo o médico cirurgião vascular Frederico Augusto de Carvalho Linhares Filho, cerca de 25% dos homens são acometidos.

> Varizes: como tratar

"Na prática clínica, o que percebemos é que eles retardam mais em procurar o angiologista ou o cirurgião vascular. Já chegam ao consultório em uma fase mais avançada da doença, fato pode dificultar o tratamento e levar a uma recuperação mais prolongada", admite o presidente da SBACV - Ceará.

Felizmente esse não foi o caso de Djalma Melo que buscou ajuda médica e está satisfeito com o resultado da aplicação do procedimento com espuma. "Faço revisões quando necessário e voltei com mais autoestima devido a nova estética da panturrilha. Retornei às atividades físicas sem problemas", relata.

'Coração' da perna

Os músculos da região da panturrilha são muito exigidos no dia a dia, uma vez que fazem as vezes de apoio e de sustentação para o corpo como um todo. A contração da musculatura leva ao bombeamento do sangue na perna e a redução da pressão venosa.

Assim, os exercícios aeróbicos (que promovem a contração da panturrilha) são os mais indicados para a melhora dos sintomas relacionados às varizes. Dr. Frederico Linhares indica como exemplo corrida, ciclismo, natação, futebol, vôlei, tênis e hidroginástica, entre outros. "Todas as pessoas com varizes nos membros inferiores (e que não possuem limitações) devem ser estimuladas a realizar exercícios físicos regularmente. Segundo ele, "a musculação e o crossfit não costumam estar relacionada ao surgimento de varizes, não havendo a necessidade de suspensão dos mesmos. Orientamos apenas que exercícios aeróbicos sejam associados".

Questão de postura

A questão postural é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de varizes. Professores, vendedores, seguranças e outros profissionais que permanecem grande parte do dia em pé estão sob risco de apresentar dilatação dos vasos dos membros inferiores.

"Sempre que possível deve-se alternar períodos sentados (com as pernas elevadas em cima de um banquinho) com o tempo que permanecem em pé". Nesses casos, "o uso da meia elástica é extremamente importante para o alívio dos sintomas e para ajudar a diminuir a dilatação das veias".

A insuficiência venosa é uma doença evolutiva, crônica e que não tem cura. "Daí ser tão comum escutarmos alguém falar que não irá mais tratar as varizes pois elas voltam a aparecer".

O médico compara tratar as varizes como o que é feito com quem tem hipertensão arterial, ou seja, o cuidado deve ser constante. "Se as orientações não forem seguidas os fatores de risco permanecerão atuando e surgirão novas varizes", destaca.

Outro detalhe importante. "Não há uma idade específica para o surgimento de varizes, embora sejam mais frequentes em idosos. Tal fato provavelmente se justifica pelo maior tempo de exposição aos fatores de risco".

Dor na perna, sensação de peso, coceira, cãimbras, inchaço e alteração na coloração da pele (na região do tornozelo), com o surgimento de manchas marrons estão entre os principais sintomas, que costumam piorar no fim do dia.

Fique por dentro

Campanha alerta sobre possíveis negligências

Apesar de poder resultar em complicações graves, como a trombose, é comum a insuficiência venosa crônica ser associada apenas a aspectos estéticos e, assim, é significativo o números de pessoas que busca profissionais não especializados para procedimentos de escleroterapia.

Devido a essa negligência, a SBACV lançou a Campanha Nacional de Escleroterapia (www.Sbacvce.Com.Br) cujo objetivo é o de conscientizar a população sobre a relevância da intervenção médica adequada. .

"Quando o paciente recorre a uma solução equivocada para as varizes, ele se expõe a um enorme risco. Apesar de parecer simples a princípio, o método de escleroterapia quando mal executado pode causar úlceras graves, manchas escuras, inflamação de veias e até trombose profunda", diz o presidente da SBACV - Ceará, Dr. Frederico Linhares.

Somente o médico - com treinamento específico - está habilitado a indicar o melhor tratamento, identificar os possíveis efeitos adversos e evitá-los prontamente. "E também tratar as complicações e assim reduzir os desfechos dramáticos que cada vez mais temos presenciado", conclui o médico

Evite problemas de circulação

Permanecer por mais de cinco horas seguidas sentado pode aumentar em até 70% o risco de embolia pulmonar, conforme estudo publicado no periódico científico Circulation, realizado por pesquisadores da Universidade de Osaka, no Japão,

Para tanto, a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular faz algumas recomendações. A primeira é não ficar parado, uma vez que o sistema circulatório (coração e vasos sanguíneos) precisa da movimentação para se manter com um bom condicionamento físico. A segunda é não ficar estressado, pois a tensão contínua e exagerada causa desequilíbrios no organismo. O sono reparador é vital para a saúde do indivíduo e não deve ser desconsiderado.

Alimentar-se corretamente antes e durante a viagem, assim como evitar o sal e produtos refinados. O sódio retém líquido, aumenta o trabalho cardíaco e favorece doenças cardiovasculares e renais.

As meias elásticas são boas aliadas (antes de iniciar uma viagem mais longa). Ajudam a comprimir a musculatura da panturrilha e fazem uma ação imediata sobre os músculos que atuam no sistema venoso. Também auxiliam na circulação sanguínea.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.