Medida certa

Diversos benefícios do consumo do cacau

O chocolate ingerido na concentração ideal e na porção diária indicada pode ser excelente aliado para a saúde

Sempre preocupada com a saúde e a dieta, a estudante de psicologia Camila Santos prefere consumir o chocolate amargo e funcional ( Foto: Yago Albuquerque )
00:00 · 17.03.2018

O feriado de Páscoa está chegando e com ele vem o dilema para quem vive constantemente de dieta. Afinal, é nessa época do ano que a pessoa tende a consumir maior quantidade e variação de chocolates.

Uma dica da nutricionista Larissa Luna para quem deseja permanecer em paz com a balança e com a saúde sem se privar dos ovos de Páscoa e demais guloseimas típicas do período é saber fazer as escolhas certas. "O chocolate pode ser consumido sem culpa, desde que o tipo tenha a concentração ideal de cacau e a porção diária correta", alerta.

Para o chocolate ser produzido, o cacau passa pelos processos de secagem, torragem e moagem, até formar um licor de cacau. Depois, a indústria separa a manteiga do cacau e, a partir disso, começa a formação do chocolate. Dependendo dos ingredientes adicionados, são produzidos o branco, ao leite, o meio amargo, o amargo e com frutas, entre outros.

Quando a manteiga é utilizada sem a massa, a exemplo do chocolate branco, a maioria dos benefícios do cacau não são aproveitados. "Por isso, falamos que a versão branca não é um tipo que se recomenda o consumo, pois normalmente é feito apenas de açúcar, leite e manteiga de cacau", destaca Larissa.

Os chocolates ao leite, o meio amargo e o amargo são diferenciados no teor de cacau em relação aos outros ingredientes. Segundo a nutricionista, todos eles têm massa, manteiga de cacau, açúcar ou adoçante, com variação apenas na quantidade.

Mais indicados

Para quem deseja aproveitar os benefícios do cacau por meio do consumo de chocolate, deve optar por aqueles que possuem percentuais da fruta, a partir de 70%, e observar os ingredientes. A massa, a manteiga de cacau e o açúcar são essenciais. Costuma-se, então, acrescentar outro tipo de óleo vegetal ou conservante, estabilizante e espessante. "O consumidor deve estar atento à lista de ingredientes, quanto menor ela for, melhor".

Depois de escolhido um bom chocolate, a ingestão pode garantir vários benefícios, entre eles, os polifenóis que conferem ao cacau a característica antioxidante que o torna um cardioprotetor, diminui a tendência de agregação plaquetária que, junto ao aminoácido arginina, melhora a perfusão sanguínea, podendo ser bom aliado em casos de hipertensão. Além disso, o cacau é rico em triptofano que auxilia na modulação do sono, melhora a sensação de bem- estar e epicatequinas que podem ser benéficos à saúde mental e cognitiva.

Quantidade

Por ser calórico, o ideal de consumo diário de chocolate fica em torno de 25g, dependendo da pessoa, para não haver excesso de calorias e gerar um ganho de peso desnecessário. Outro ponto a ser observado é a presença de cafeína que pode ser prejudicial para pessoas com refluxo, gastrite, labirintite ou enxaqueca.

O chocolate composto com oleaginosas é uma opção interessante de ser consumida, pois elas também são nutritivas e ricas em zinco. "Possuem, no entanto, alto valor energético por serem ricas em gorduras. Contudo, para adequar essa combinação na ingestão alimentar o ideal é procurar ajuda de um nutricionista", recomenda Larissa Luna.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.