NUTRIÇÃO

Dieta desintoxicante depois do Carnaval

Alimentação alcalina é uma boa pedida para eliminar o excesso de toxinas consumidas nos dias de folia

00:00 · 17.02.2018
Image-0-Artigo-2359713-1
As saladas verdes compostas com queijo de búfalo e vinagrete de frutas vermelhas são indicadas, principalmente, para quem precisa eliminar toxinas e recuperar a nutrição sem radicalismo na restrição alimentar
Image-1-Artigo-2359713-1
Os sucos detox são apostas certeiras para quem pretende adotar a filosofia de uma alimentação saudável, focada na desintoxicação

Desânimo, inchaço, pele e cabelo sem vida são alguns dos sinais de que o organismo está com excesso de toxinas. Para reverter esse quadro, muito comum após dias de festas, apostar em um programa de alimentação desintoxicante é um caminho eficiente para recuperar o organismo de excessos.

Durante esse processo, a dieta deve ser rica em alimentos alcalinizantes e reduzida dos que acidificam o organismo, sinaliza a nutricionista Michelle Mileto Troitinho.

Para quem pretende adotar práticas de alimentação mais saudáveis e focadas na desintoxicação mesmo fora do período de Carnaval, a especialista alerta para a redução do consumo de café, sal, açúcar, carne vermelha, frango de granja, queijos, leite de vaca, farinha de trigo e seus derivados, frituras, embutidos e bebidas alcoólicas.

"Sempre que comemos esses alimentos em excesso, induzimos a produção de mediadores inflamatórios, que causam um aumento da produção de radicais livres, gerando danos aos hepatócitos", explica a especialista em nutrição.

Portanto, para manter a saúde do organismo, a profissional diz ser importante evitar o consumo de alimentos industrializados que contenham na lista de ingredientes o glutamato monossódico, adoçantes artificiais, corantes, aromatizantes, estabilizantes e excesso de conservantes. Essas substâncias podem se acumular no organismo, quando consumidas em demasia, causando toxicidade.

Bloqueio

"Elas modificam funções e bloqueiam reações metabólicas. O fígado fica sobrecarregado, pois é o responsável pela produção das enzimas que metabolizaram as substâncias até serem eliminadas no processo de desintoxicação".

Deixe de lado as frituras e carnes com gordura aparente e aposte diariamente em uma pequena porção de amêndoas, castanhas sem sal, nozes, azeite de oliva, sementes de gergelim, abóbora e girassol.

"Esses alimentos têm gorduras essenciais e nutrientes antioxidantes como o selênio, o cobre, o zinco e a vitamina E, que reduzem inflamação e melhoram a desintoxicação", ressalta a nutricionista.

Substituir o que for possível por alimentos de cultivos orgânicos, ajuda a minimizar a exposição a pesticidas, herbicidas, hormônios e antibióticos. Dos alimentos saudáveis, a nutricionista sugere o frango e ovos caipiras, além do aumente no consumo de peixes brancos e sardinha fresca. Aconselha evitar salmão de cativeiro e atum em lata, pois podem conter metais pesados.

Dê preferência a alimentos alcalinos, que auxiliam no processo de desintoxicação, como frutas e vegetais em geral, principalmente brotos, brócolis, couve, alho, amora, mirtilo, limão, laranja, toranja, maçã, alecrim, manjericão, aipo, salsinha, gengibre, orégano, hortelã e açafrão- da- terra.

Complemento

Aposte no consumo de peixes ricos em ômega- 3, a exemplo de bacalhau, pirarucu, cavala, salmão selvagem, atum e sardinha frescos. Para complementar a alimentação, inclua ovos caipiras, oleaginosas (castanhas e nozes), aveia, linhaça, chia, feijões, arroz integral, quinoa, batata-doce, batata-baroa, mandioca, lentilha, grão-de-bico e kefir.

A hidratação pode ser mantida com a ingestão de no mínimo dois litros de água por dia. "Evite refrigerantes, sucos em caixinha ou lata, mate, águas saborizadas industrializadas, pois todos são produtos compostos por aditivos químicos", complementa a nutricionista Michelle Mileto Troitinho.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.