Proteção

Cuidados de beleza para curtir as férias

Exposição solar, viagens de avião ou carro, altas e baixas temperaturas podem ocasionar o ressecamento da pele

00:00 · 09.12.2017
Image-0-Artigo-2332804-1
Apaixonada por viagens, a contadora Germana Lima não abre mão de curtir férias de fim de ano nos mais diferentes roteiros. Mas, para isso, a cearense reforça a nécessaire com cosméticos específicos para a proteção da sua pele

No Brasil, além de os roteiros mais procurados por quem viaja de férias incluírem dias de sol na praia ou na piscina, o percurso realizado de carro ou de avião exige atenção especial com a saúde da pele.

Dentre os cuidados recomendados pela Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o mais importante, e isso serve para todas as situações, é a proteção solar. "Sem ela, não há pele que resista às ações naturais do meio ambiente".

Muitas pessoas não sabem, mas antes de viajar de avião, o recomendável é aplicar uma boa camada de hidratante no rosto e nas mãos, além de creme para a região dos olhos para evitar o ressecamento.  Quando a viagem durar mais de 6 horas, o ideal é borrifar água termal no rosto, por diversas vezes, isso ajuda a manter a pele hidratada contra o ar seco.

A maquiagem deve ser retirada antes de dormir durante o voo e a passageira deve procurar descansar o máximo possível, para evitar a aparência do jet lag, tão comum em percursos longos. Quando estiver a uma hora do destino, higienize novamente a pele e hidrate. Em seguida, os BB creams e maquiagens podem ser aplicados. O ideal é tomar uma garrafinha de água por hora no avião.

O uso de hidratantes que ajudem a manter a função de barreira da pele como Hyaxel e Pro Barrier Repair são importantes. "Os lábios também precisam de proteção. Para não chegar ao destino com bolsas nos olhos, "evite ingerir alimentos salgados e gordurosos. Caso eles inchem, aplique um creme específico para a área com ingredientes contra a inflamação", alerta.

Viagens de carro

Quanto ao ar-condicionado, de modo geral, tanto no carro ou em ambientes, em função da redução da umidade do ar, a pele e os cabelos ficam mais ressecados e expostos ao envelhecimento. "É importante utilizar produtos antioxidantes, com ativos que agem profundamente na pele e neutralizam os radicais livres, como o OTZ 10 e Vitaminas C e E", afirma a médica. Na hora de se alimentar, prefira lanches leves e frutas, evite muito café, mas exagere na água.

Antes de entrar na piscina, a Dra. Claudia pede para evitar o uso de esfoliantes e sabonetes abrasivos, o que pode tirar a proteção natural da pele. "Consuma antioxidantes orais como as vitaminas C e E, licopeno e luteína, em fórmulas que associem polypodium leucotomos, pignogenol, FC oral,bio-arct e exsynutriment que ajudam a fortalecer a função de barreira da pele e a proteger do sol, evitando as queimaduras. Isso não substitui o filtro solar".

Após o banho, a médica aconselha limpar a pele, para remover as impurezas, utilizar tônico ou demaquilante. A Dra. Claudia destaca a importância de usar hidratantes pós-sol, com efeitos calmantes e cicatrizantes. "É essencial ingerir muita água, antes e durante o banho de piscina, o que mantém a hidratação do corpo. Não se esqueça de proteger os cabelos com produtos que neutralizam os efeitos do sol e do cloro da piscina".

A exposição solar é importante para a produção de vitamina D, mas não pode haver exageros. O ideal é se expor ao sol antes das 9h e após as 16h, mas sem abrir mão da proteção solar com filtros físicos, mesmo na sombra.

O indicado é utilizar filtro com FPS a partir de 60 e reaplicá-lo a cada duas horas, inclusive um específico para os lábios. Pessoas com pele clara devem ter cuidado extra, mas quem tem pele mulata e afrodescendente também não pode deixar de usar o filtro solar.

"Além disso, a pele pode sofrer queimaduras, eritema, coceiras, irritações e melanoses. O excesso de calor pode favorecer a produção de sebo e contribuir para o surgimento de acne", declara.

Por esse motivo, a Dra. Claudia Marçal indica o uso do filtro solar com bloqueador físico. A água do mar e a areia relaxam e revigoram o corpo, contudo, é preciso se atentar a questões que trazem danos à pele como a possibilidade de contrair infecções, provocadas por fungos e bactérias presentes na areia. "A pele pode sofrer com micoses, que se alimentam da queratina na epiderme", diz.

Riscos

As virilhas e os pés são as regiões do corpo mais afetadas por fungos e bactérias, mas não são as únicas a serem atingidas. Por isso, é importante priorizar a higiene e não ficar muito tempo com os trajes de banho molhados.

No caso da água do mar imprópria para o banho, existe o risco de contrair doenças de pele, por causa da presença de fezes, urina e lixo, por exemplo. "Se houver alguma ferida ou corte na pele, o contato com a água salgada pode contribuir para o surgimento de micoses na pele", complementa a dermatologista Dra. Cláudia Marçal.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.