saúde

Cuidado com as bactérias!

Em casa, os espaços que mais concentram as bactérias são a cozinha e o banheiro. Nesse último, a descarga deve ser sempre acionada com a tampa do vaso baixada
00:00 · 03.02.2018

Os calçados não são os únicos responsáveis pela proliferação de microrganismos. Em casa, os locais que mais concentram bactérias são o banheiro e a cozinha. No primeiro cômodo, o destaque é para o vaso sanitário como o ambiente mais contaminado, por motivos óbvios. A descarga deve ser feita sempre com a tampa do vaso baixada. 

Segundo o infectologista Guilherme Henn, o turbilhonamento da água quando a descarga é acionada faz subir uma nuvem invisível de partículas microscópicas que podem conter germes fecais, contaminando não só o usuário mas objetos próximos. 

LEIA AINDA
> Hábito japonês: bem-vindos, sem calçados
> Tirar os sapatos: questão de conforto, higiene e respeito

As escovas de dentes também são alvos fáceis. Com o passar do tempo, e o uso dia após dia, bactérias que passaram da boca para as cerdas vão formando o chamado biofilme, uma espécie de colônia microscópica dentro da qual elas ficam protegidas do ressecamento. “Esta colônia vai se desenvolvendo com o tempo, fazendo com que a higiene dental fique cada vez menos eficiente - esse é o motivo pelo qual se recomenda a troca das escovas a cada três meses”, explica Henn. 

Já na cozinha, as bactérias se multiplicam rapidamente nos restos de alimentos contidos nas pilhas de utensílios acumulados na pia, bem como nas esponjas, que merecem atenção especial dos usuários. Como são feitas de material poroso e vivem úmidas, elas são excelentes meios de cultura para bactérias. Segundo o médico, há estudos mostrando que esponjas em uso há poucos dias já albergam quantidade de microrganismos maior até mesmo que um vaso sanitário que não foi limpo.

Celulares 

Os aparelhos celulares também podem ser risco de contaminação, considerando que eles passaram a ser uma extensão das mãos. “Estarmos manipulando-os o tempo inteiro, deixando-os sobre superfícies nem sempre higienizadas, raramente limpando-os, e usando-os nos mais diferentes ambientes (tem gente que usa até quando vai defecar!)”, alerta. Estudos revelam que aparelhos celulares dos médicos são colonizados por mais bactérias do que os próprios jalecos e estetoscópios. (CP) 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.