Experiência sensorial

Cosméticos compostos de fórmulas naturais

Em meio a madeiras, folhas, frutos, raízes e cipós, descobrem-se os ativos mais perfumados da Floresta Amazônica

00:00 · 14.04.2018

Assim como bons hábitos alimentares e a prática de atividade física são importantes para manter a boa forma e a qualidade de vida, cosméticos produzidos com ativos totalmente naturais são os segredos para manter, restaurar e equilibrar o mecanismo de defesa da pele.

Conhecida por adquirir a matéria-prima na fabricação de seus produtos de maneira consciente e, ainda, contribuir de forma sustentável para a preservação do meio ambiente, a Natura - a Casa de Perfumaria do Brasil abriu as portas da Amazônia para, junto com um grupo de jornalistas e influenciadores, realizar uma viagem de observação sensorial pela floresta.

> Extração da copaíba e do breu para a perfumaria

Segundo o químico e pesquisador Iguatemi Costa, os 18 anos de estudos sobre a biodiversidade da Amazônia fazem parte da estratégia da indústria para criar uma perfumaria nova e genuinamente brasileira. "É um trabalho relativamente longo, envolve questões técnicas e criativas na descoberta de ativos apropriados para a produção dos cosméticos", ressalta o pesquisador.

Óleos essenciais

Atualmente, a Natura trabalha com uma palheta de 23 novos óleos. "Por exemplo, a copaíba já é usada na perfumaria. Porém, o processo que nós utilizamos é específico para a criação dos novos produtos", afirma Iguatemi Costa. De acordo com o pesquisador, as espécies de copaíba e do cumaru são usadas na perfumaria clássica. No entanto, a priprioca e a pataqueira, pelo seu conhecimento, só a natura utiliza.

No caso da priprioca, é difícil ter ocorrência natural da espécie suficiente para suprir uma perfumaria. "A coleta é feita pelas comunidades e cooperativas. Entre os parceiros está a Associação Vida Verde da Amazônia (Avive), já mapeada para o recolhimento do breu", destaca Iguatemi Costa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.