Técnica

Correção de 'falha' no coração

A equipe realizou o procedimento para a colocação de uma prótese definitiva. O objetivo é fechar a comunicação indevida entre os átrios e o coração
00:00 · 23.12.2017

A equipe de cardiologistas cearenses formada por Ronaldo Mont'Alverne, Celso Lopes, Sandro Salgueiro, Cezário Martins e Nilson Moura Fé realizaram, em Fortaleza, um procedimento que pode combater o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Trata-se da cirurgia de fechamento percutâneo do FOP (forame oval patente), que corrige uma 'falha' existente no coração. A paciente, 72 anos, teve dois AVs prévios e foi submetida a um cateterismo cardíaco.

Segundo o Dr. Sandro Salgueiro, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia/Ceará, o FOP é uma situação que não é incomum, mas pouco diagnosticado. "É uma comunicação entre o átrio direito e o átrio esquerdo que não é para existir. Geralmente, é um orifício bem pequeno e ocasiona poucos sintomas. Porém, alguns pacientes podem ter problemas com o FOP. Pode passar um coágulo do lado direito para o lado esquerdo, bater no cérebro e provocar um AVC".

Dr. Nilson Moura Fé explica que o fechamento de forame oval patente significa a colocação de uma prótese definitiva para fechar a comunicação indevida entre os átrios do coração. "É relativamente simples. No passado se fazia por cirurgia aberta, quando precisava abrir o coração para suturar e fechar essa abertura, mas. Hoje é realizado por meio de um procedimento percutâneo, feito pelo cateterismo", afirma o médico.

Contraindicações

Conforme o cardiologista Ronaldo Mont'Alverne, o fechamento percutâneo dos defeitos do septo interatrial (incluindo o FOP) foi desenvolvido pela hemodinâmica ( cardiologia intervencionista), sendo uma opção terapêutica de escolha para casos selecionados. Detalhe: o fechamento do FOP como tratamento da enxaqueca ainda não está claramente estabelecido.

É contraindicado para pacientes que apresentam trombofilia, situação na qual existe uma tendência de formação de trombos e coágulos de forma espontânea. Pessoas nessa condição não podem receber a prótese porque neste subgrupo a prótese pode atuar como um sítio de formação de trombos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.