Alzheimer

Campanha "Lembre-se de mim"

00:00 · 09.09.2017

Quem tem (ou já teve) um familiar com Alzheimer lembra da forma sensível e fiel com que a atriz Julianne Moore vivenciou a descoberta e os vários estágios da doença. Essa trajetória foi retratada no filme "Para Sempre Alice", com o qual ganhou o Oscar de melhor atriz em 2015. Não tem como não se emocionar até hoje.

Os anos passam e os desafios permanecem, principalmente em relação ao diagnóstico dessa doença degenerativa do cérebro. Tanto é assim, atualmente, menos de 50% dos pacientes conseguem ter acesso aos tratamentos disponíveis. Foi essa condição que inspirou o tema da Campanha Mundial de Conscientização sobre o Alzheimer deste ano: "Lembre-se de mim" (Remember Me, na versão original).

Redes cerebrais

Segundo o neurologista Roger Taussig Soares, o Alzheimer é uma doença decorrente do acúmulo de proteínas (como o amiloide beta e a proteína tau), que formam aglomerados proteicos tóxicos para as células cerebrais, ocasionando sua morte. "Os sintomas são decorrentes da dificuldade de comunicação nas redes cerebrais e da morte neuronal", explica o neurologista.

Quanto mais idosa a população, maior o número de pessoas com Alzheimer. Isso significa que há cada vez mais doentes no Brasil, em função do aumento da expectativa de vida. "Atualmente, estima-se que existem cerca de 1,3 milhão de indivíduos acometidos em nosso País. No mundo, considera-se que mais de 40 milhões de pessoas têm a patologia", adverte Dr. Roger Soares.

Diagnóstico

O médico informa que o diagnóstico antecipado pode auxiliar no tratamento da doença, na orientação dos cuidadores e no planejamento para o futuro. "Pessoas diagnosticadas na fase inicial da doença são capazes de tomar decisões de vida, inclusive para realizar sonhos que ficaram no passado", preconiza o médico, que atua nos hospitais Albert Einstein, Oswaldo Cruz e Beneficência Portuguesa.

Além disso, complementa, o diagnóstico entre os vários tipos de demência é mais fácil no início da doença, permitindo diferenciar o Alzheimer de outras formas de demência, inclusive de algumas que são potencialmente reversíveis, como a deficiência de vitamina B12 ou a hidrocefalia de pressão normal.

Familiares atentos

Ao contrário do que muitos pensam, perder a memória e ficar confuso em algumas situações do cotidiano não faz parte do processo natural de envelhecimento. Entre os sintomas do Alzheimer, dez deles em especial devem ser investigados por um médico especialista.

Deve ser observado se o paciente apresenta perda de memória, dificuldade de execução de tarefas conhecidas, problemas com a linguagem, desorientação no tempo e no espaço. Também perda de crítica e de objetos, problemas com pensamento abstrato, mudança no humor e no comportamento, mudanças na personalidade e perda de iniciativa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.