Plantão psicológico

Atendimento 24 horas

O Pronto Atendimento Psicológico (PA-Psi) é formado por uma equipe de 10 psicólogos capacitada ao atendimento emergencial ( Foto: Cid Barbosa )
00:00 · 15.04.2017

"Implantar um serviço de Plantão Psicológico 'full time' exige menos investimento financeiro do que um compromisso transformador, solidário e social. É preciso largar o velho comodismo e a falta de riscos da vida acadêmica, a fim de exercer uma psicologia aplicada em condições sócio-histórico-culturais", argumenta a psicóloga Rosiane Soares, especialista em transtornos do autismo e membro do Pronto Atendimento PA- Psi.

LEIA MAIS

.Plantão psicológico

O manual de fundamentos do Plantão Psicológico traz que "todos somos vítimas de uma tragédia social anunciada". Segundo a equipe de especialistas do serviço, quem vive sob os aspectos do "eu real" e do "eu imaginário" está naturalmente mais sujeito ao sofrimento. Quanto mais o homem se submete ao estado do "ter" (sociedade de consumo), mais enfrentará dor psíquica.

Importante ressaltar que o atendimento realizado no PA-Psi não se destina ao serviço de emergência psiquiátrica grave, que deve ser realizado por médico psiquiatra.

A psicóloga Delane Saraiva destaca que a sociedade estimular a cultura do narcisismo. "Cada vez mais competimos. As exigências de sucesso criam batalhas no nosso interior, onde temos que ser o que esperam que nós sejamos. A cidade se divide em lados e as consequências estão no medo de ir pra rua, do amanhã e da violência", pontua.

Não à solidão

O caso do taxista João Pedro (nome fictício) expressa as muitas situações na qual o atendimento 24 horas é eficaz. Ao chegar para o atendimento, ele mostrava sinais de um quadro depressivo. Naquele dia, trabalhou 12 horas seguidas. "Ir pra casa pra que, doutor? Estou cansado, mas vai ser pior? não tem jantar, não tem 'como vai você', nem mesmo um 'boa noite", desabafou sobre o peso da separação da esposa.

Depois de duas horas sendo ouvido e aconselhado, João Pedro deixou o consultório do PA-Psi com planos de procurar um defensor público que o auxiliasse no processo de separação.

Poderia ter chegado ao final da noite vitimado pelo trânsito ou pela tristeza. Voltou para casa mais aliviado, com pensamentos menos negativos. Prometeu retornar, caso a angústia volte. "Venha antes, que é pra prevenir", disse o psicólogo.

Mais informações

PA-Psi - Pronto Atendimento Psicológico

(85) 3227.0908

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.