alimentação

Açúcares: 'vazios' e de baixo valor nutricional

Doce no paladar, mas não em presença de nutrientes, o açúcar afeta de diversas formas o organismo

00:00 · 10.03.2018

Quem não gosta de adoçar a vida? Doces e bebidas com alto teor de açúcar (ex: achocolatados) estão entre as preferências de uma parcela significativa de nossas crianças.

"O açúcar é um 'alimento vazio', uma vez que só possui calorias e praticamente não tem nutrientes", afirma o nutrólogo Alexander Gomes de Azevedo, diretor técnico internacional na Academia Latino-Americana de Nutrologia.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, o elevado consumo de açúcar está relacionado a uma série de doenças, a exemplo do diabetes tipo 2. Com esse hábito, a pessoa estimula a resistência do organismo à insulina (hormônio que permite o acesso da glicose às células da corrente sanguínea avisando-as para queimar glicose e não gordura). Doces e a falta de nutrientes podem levar à desnutrição e a problemas hepáticos e cardiovasculares.

Poucas vitaminas

O nutrólogo cita os achocolatados (em sua versão comum) como um exemplo típico de alimento 'vazio'. Isso porque em sua composição estão presentes 75% a 90% de açúcar, além de ter apenas poucas quantidades de vitaminas e minerais. "O ideal é trocar os achocolatados comuns por suplementos que não são adoçados com açúcar e contenham diversas vitaminas e minerais. E que tenham concentrações adequadas de sais de ferro (ajudam a reduzir as taxas de anemia). Há vários produtos no mercado nacional que têm características similares ao suplemento que comparamos com os achocolatados", indica Alexander Gomes de Azevedo.

"Escolha as versões da bebida adoçadas com sucralose ou stevia que tenham uma quantidade menor de açúcar em sua composição. Há bebidas lácteas que têm qualidade nutricional melhor que achocolatados comuns", explica.

Refeição fracionada

Além de abolir os excessos, principalmente de doces de achocolatados em geral, o nutrólogo sugere a prática de boas condutas nutricionais, tais como fracionar as refeições, ingerir três porções de frutas por dia, aumentar o consumo de verduras e legumes ao mesmo tempo procurando diminuir as porções de carnes e gorduras (excluir os itens embutidos da dieta deve ser obrigatório).

Uma dieta balanceada deve priorizar a inclusão de mais peixes, fibras e água. Também comer ao menos duas porções de lácteos/dia e reduzir, sobretudo, o consumo de 'alimentos vazios', a exemplo do açúcar, sal, doces, refrigerantes, pão branco, molhos e sopas prontas, biscoito e bolachas em geral. "O uso de suplementos alimentares (bebida láctea) deve ser incluído na dieta de duas a três vezes por semana, mas se necessário", conclui.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.