Jogada

Coração tem que estar em dia para tanta emoção

00:00 · 30.12.2017 / atualizado às 00:35 por Gustavo de Negreiros (Editor)

Um grande ano de 2017 proporcionou um 2018 cheio de expectativa para o futebol cearense. É fácil explicar o porquê: os 40 melhores times do País desfilarão o seu futebol, pelo menos uma vez, nos gramados cearenses. O Ceará Sporting Club conquistou, após seis anos, o direito de disputar a Série A do Brasileirão. O Fortaleza Esporte Clube, após 8 anos, finalmente retornou à Série B. Somado a isso, o Ferroviário reconquistou vaga em um certame nacional, a Série D, após grande campanha no Estadual e longa ausência e crise duradoura.

São vários ingredientes que, combinados, contribuem para que 2018 seja o ano mais atraente das últimas 11 temporadas. Além disso, um Campeonato Cearense cheio de times em ascensão, como é o caso do Floresta, atual campeão da Taça Fares Lopes, promete um desafio para os grandes. A Copa do Brasil e a Copa do Nordeste também garantem glamour e boas remunerações para os representantes classificados.

Toda essa expectativa tem sido levada a sério. Pelo lado alvinegro, o presidente Robinson de Castro tenta repetir a fórmula que deu certo no ano anterior para garantir o sucesso da permanência na Elite em 2019. Um misto de responsabilidade com ousadia em termos de contratação, mas sem aposta em velhos nomes e jogadores badalados do passado é a tônica. A fórmula é investir em atletas promissores, como o jovem Raul, o goleiro Everson e o volante Richardson, que têm gana de crescer na carreira. Além disso, o técnico Marcelo Chamusca permanece para dar sequência ao seu trabalho.

No Tricolor, o retorno da Série B é eivado de renovação, já que o time tem nova gestão, com o presidente Marcelo Paz, e novo comando técnico, com o promissor Rogério Ceni, que brilhou como goleiro, mas agora tenta provar o seu valor fora das quatro linhas. A fórmula que o Leão do Pici tem adotado para obter sucesso é montar, o quanto antes, um time forte, digno de disputar a Série B. Para isso, jogadores como Alan Mineiro e Diego Jussani já foram contratados.

O Ferroviário aposta na antecedência do início dos trabalhos e no técnico Carlos Rabello para solidificar conquistas de 2017, cumprindo bem o Cearense e a Copa do Nordeste, assim como tentando acesso à Série C.

Vovô perfeito

Quando começou a temporada 2017, a diretoria do Ceará Sporting Club tinha dois objetivos principais em mente: primeiro, reconquistar a hegemonia do futebol local, já que estava fora da Copa do Nordeste e, após isso, conseguir o tão sonhado acesso à primeira divisão. E as duas grandes metas se cumpriram, tornando este ano um dos mais especiais na história do Vovô. Em 2009, quando conquistou o último acesso, viu o maior rival ser campeão estadual. Agora, as duas conquistas foram alcançadas. Mas para chegar a objetivos tão espetaculares, alguns obstáculos atravessaram o caminho do Alvinegro, que soube superá-los para evoluir no momento certo. Gilmar Dal Pozzo foi demitido após eliminação vexatória na Copa do Brasil. Na sequência, mesmo com o título estadual, Givanildo Oliveira deu lugar a Marcelo Chamusca.

Copa do Mundo

Como se não bastasse o grande volume de emoções que o futebol cearense proporcionará, some-se a isso que neste ano mais uma Copa do Mundo acontece, a 31ª da história, com a presença das maiores seleções do mundo (com exceção da Itália que ficou de fora). Entre os dias 14 de junho e 15 de julho, o planeta estará com olhos voltados à Rússia. No Brasil, a expectativa é que os comandados de Tite, protagonistas de uma Eliminatória Sul-Americana espetacular, mantenham o futebol jogado para que conquistem, enfim, o sonhado hexacampeonato.

Luta por espaço

As emoções de 2018 não ficam restritas apenas ao futebol. Nas artes marciais mistas, o Brasil tenta manter o seu posto entre as principais potências, apostando principalmente nas suas mulheres. Cris Cyborg e Amanda Nunes tentam manter a boa forma no UFC, enquanto os homens querem retornar aos melhores dias. Após ser derrotada, a cearense Viviane Sucuri ainda tem uma luta no contrato com a organização e apostará todas as suas fichas neste confronto.

Vamos para água

Nos esportes aquáticos, a expectativa é pelo desempenho de cearenses no surfe, kitesurfe e bodyboarding. Carlos Mário, o Bebê, é um dos grandes nomes no mundial do 'kite'. Silvana Lima foi outra que fez bonito em 2017 e volta com tudo para a temporada 2018, na elite do esporte, e sonhando com vaga nos Jogos Olímpicos. No bodyboard, Isabela Souza também tenta mais um título mundial.

Coração acelerado

No automobilismo, categorias ganham força em competições espalhadas pelo Estado. Mais uma edição do rally Cearapió já ocorre nesse mês de janeiro, levando muita emoção nas trilhas. Para completar, o Rally dos Sertões, a principal prova nacional, sai de Goiânia para terminar nada mais, nada menos que em Fortaleza. A competição acontece no mês de agosto.

Bem-estar

E não é só de esporte profissional que as emoções se encontram. No campo do bem-estar físico, a ânsia é pelas corridas de rua que vão agitar Fortaleza de janeiro até dezembro. Além disso, mais uma etapa do IronMan foi confirmada na capital cearense no mês de novembro. Esportes como fisiculturismo e crossfit ganham cada vez mais espaços nas academias da Capital e em grandes competições que acontecem também durante toda a temporada. Na praia, o beachsoccer, beachtennis e vôlei também terão grandes representantes locais em disputas bastante eletrizantes, que acontecerão tanto na Capital cearense como em outras cidades do Brasil e do mundo.

São muitas emoções que estão reservadas para os apaixonados de todos os esportes em 2018, seja assistindo ou mesmo praticando as modalidades existentes. É preparar o coração para suportar todas as vitórias ou derrotas que estão reservadas.

Leão certeiro

s
A temporada de 2017 também foi muito boa para o Fortaleza por apenas um único motivo: a volta à Série B do Campeonato Brasileiro. Quando parecia que tudo daria errado e que o Leão passaria por um ano deplorável, que reuniu perda do Estadual (não chegou sequer à final), eliminações na primeira fase da Copa do Brasil e na fase de grupos da Copa do Nordeste, trocas de presidentes e de técnicos e outros tantos dissabores, o time reuniu forças, a partir do trabalho do técnico Antônio Carlos Zago. Conseguiu se classificar ao mata-mata da Série C, superando o Tupi, de Juiz de Fora. Acesso que foi comemorado como um título pela Nação Tricolor. Ao fim da temporada, o anúncio de Rogério Ceni veio como mais um motivo de comemoração. A notícia ganhou as manchetes dos principais noticiários do País, levando a marca do Leão para todos os estados.

O sonho do hexa nas mãos de Tite

d
Nenhum torcedor brasileiro esqueceu o vexame da Seleção Canarinho na Copa de 2014, em pleno Brasil. O '7 a 1' ainda traumatiza o torcedor, mas é fato que parte da imagem do time verde-amarelo foi recuperada com a chegada de Tite. Após eliminatórias irrepreensíveis, o time chega à Copa do Mundo da Rússia novamente entre os mais cotados a levantar a taça. Para isso, terá de superar, na fase de grupos, duas seleções europeias (Suíça, Sérvia) e uma da América Central (Costa Rica).

Leia ainda:
 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.