nova opção de deslocamento

Serviço móvel de táxi social cresce no Interior

Na última semana, mais de dois mil clientes se cadastraram no aplicativo da cooperativa 'Bora Cariri'

00:00 · 11.09.2018 por Antonio Rodrigues/Alex Pimentel - Colaboradores
Image-0-Artigo-2451361-1
As novas opções levam em conta as peculiaridades locais, o que faz com que o preço cobrado ao passageiro seja menor e o lucro do motorista maior ( FOTO: ALEX PIMENTEL )

Juazeiro do Norte/Quixadá. Há pouco mais de um ano, a empresa Uber chegava à Terra do Padre Cícero para oferecer mais uma opção de transporte como opção aos tradicionais taxistas e mototaxistas. No entanto, insatisfeitos com o faturamento, os motoristas resolveram inovar e criar uma cooperativa junto com um novo aplicativo de táxi social. A ideia, já implementada em Crato, Juazeiro e Barbalha, desde agosto, é parecida com outro serviço realizado no Sertão Central desde junho. Mais de 150 profissionais já estão cadastrados no Cariri.

Segundo o motorista Cassio Lopes, a ideia de criar a Cooperativa dos Motoristas por Aplicativos do Cariri (Coopmac) surgiu entre quatro amigos com o intuito de lançar um produto regional "que atendesse uma demanda reprimida que nós, enquanto motoristas, ouvíamos no dia a dia", explica. O grupo estimou que a Uber fatura, em média, R$ 400 mil por mês no Cariri. "O que vemos hoje são grandes corporações cobrando percentuais que podemos considerar abusivos e que deixam uma margem muito pequena para o motorista cobrir suas despesas pessoais e de manutenção do veículo utilizado", completa.

Como forma de beneficiar o motorista e o passageiro, cobrando um preço menor e faturando mais, a cooperativa criou o aplicativo "Bora Cariri". Na última semana, mais de 2 mil clientes se cadastraram. Para Cassio Lopes, o principal problema da Uber é não atender às especificidades de cada região. "Temos uma gasolina mais cara do que a maioria das regiões e precisamos de soluções específicas", justifica.

Valor baixo

O motorista cadastrado contribuiu com um valor fixo para a cooperativa, o suficiente para manter as despesas administrativas. "Um valor que, se considerada a concorrência, chega a ser muito baixo", garante Cássio. Os cooperados têm seguro nos carros, seguro de vida, plano de saúde e plano dentário, além de um serviço de reboque 24 horas e mecânicos de plantão. Já o valor da viagem segue o cálculo do padrão internacional: distância e tempo do trajeto.

Por outro lado, nem todos os motoristas da Uber aderiram ao aplicativo "Bora Cariri", por causa de sua credibilidade. Um deles é Saulo Ferrer, que acredita que a empresa americana transmite mais confiança ao cliente. "Mesmo sendo uma empresa mundial, ainda têm pessoas com receio de utilizar a o serviço", argumenta. Com a concorrência, Saulo acredita que o serviço pode até melhorar.

Maiores

Há quatro meses, Saulo deixou seu emprego de vendedor para trabalhar como motorista na Uber e, para ele, está valendo a pena. Sua meta diária é de 24 viagens e, depois disso, descansa, mas já fez mais 1.500 deslocamentos. No Cariri, ele notou que, à tarde, o fluxo e o valor são maiores. "Compensa mais", garante, acrescentando que todo seu sustento e de sua família vem do serviço. "A gente é orientado para quando deixar em tal local ficar aguardando o próximo chamado. Se ficar se deslocando, eu vou gastar meu combustível. Só passo cinco minutos parado, no máximo".

Em Quixadá, que ainda não possui transporte coletivo regular, a opção mais encontrada é o mototáxi. No entanto, isso está mudando com a chegada do IndiCar, que vem conquistando mais clientes. Há oito anos na Capital, o serviço de táxi social começou a operar no Município no fim de junho. Em pouco mais de dois meses, a frota já conta com 10 motoristas parceiros. O custo médio do transporte de um bairro ao outro é inferior a R$ 10. Os veículos possuem quatro portas, são climatizados e recebem até quatro passageiros com o preço de uma única viagem.

Essas vantagens estão fidelizando clientes. Os motoristas agradecem e, mesmo incluindo os gastos com o combustível e com a manutenção do carro, alguns estão lucrando acima de dois salários mínimos por mês. O único problema é a buraqueira na cidade. Com as vias em melhor condição de tráfego, o trabalho acaba se tornando um agradável passeio.

Outra vantagem é a segurança, tanto para o cliente e motorista. A partir da solicitação do táxi social, os números dos celulares e as rotas ficam registrados no sistema.

A professora Maria Lúcia Mesquita foi uma das primeiras clientes. Ela confessa ter ficado desconfiada no princípio. Mas, além de conhecer quem ia transportá-la antes de chegar à sua porta e até saber o valor do trajeto no celular, abandonou o seu automóvel na garagem. Indicou a opção para os amigos e vizinhos. "Eu não imaginava encontrar tamanha utilidade e conforto com essa opção de transporte. São educados e atenciosos", acrescentou.

Meta

Na avaliação do representante da empresa, os resultados estão superando todas as expectativas. O serviço será expandido no Interior. Em breve, estará em Canindé e Quixeramobim. Até o fim do ano, deverá estar disponível em Iguatu, onde também não existe essa opção de transporte. A meta é atender cidades com mais de 50 mil habitantes, oferecendo mais uma opção de transporte, ao mesmo tempo gerar emprego, principalmente para profissionais independentes ou quem busca renda extra sem a obrigatoriedade de bater cartão de ponto.

O consultor da IndiCar no Interior do Ceará, Leandro de Castro, explica que o motorista interessado em aderir ao serviço precisa apenas ser habilitado, possuir um veículo com quatro portas em bom estado de conservação, com ar-condicionado e, no máximo, 10 anos de uso. O telefone celular é essencial. O interessando precisa fazer um cadastro e, após a aprovação, com checagem inclusive dos antecedentes criminais e sociais, participar do treinamento. A taxa administrativa da IndiCar é de R$ 70,00 semanais.

Mais informações:

Bora Cariri
Aplicativo disponível na Google Play Store e App Store (iPhone)
Telefone: (88) 99334-7799

INDICAR
(88) 9 9765 3654
Facebook / IndiCar

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.