CHUVAS de JULHO

Reservatórios voltam a sangrar no Estado do Ceará

Os cinco açudes já tinham ultrapassado as cotas máximas neste ano, entre os meses de fevereiro e maio

00:00 · 11.07.2018 por Alex Pimentel - Colaborador
RESERVATÓRIOS NO CE
O Germinal fica em Palmácia, no Maciço de Baturité, os demais, em Maranguape (Maranguapinho), na RMF; Itapajé (mesmo nome); em Meruoca (Jenipapo); e em Moraújo (Várzea da Volta), esses no Norte do Estado ( Foto: Alex Pimentel )

Quixadá. Pouco mais de um mês após o encerramento da quadra chuvosa deste ano, cinco dos 155 reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) voltaram a sangrar. Dois deles estão nas regiões serranas próximas à Capital cearense, o Maranguapinho, em Maranguape; e o Germinal, em Palmácia. Os outros três são o Itapajé, neste Município; o Jenipapo, em Meruoca; e o Várzea da Volta, em Moraújo, todos na Zona Norte do Estado.

Esses cinco açudes já tinham ultrapassado as cotas máximas neste ano, entre os meses de fevereiro e maio. Atualmente, outros 16 apresentam volume acima de 90%, todavia, a maioria, 84, está abaixo dos 30% da capacidade total, 26 deles em volume morto. O Carão (Tamboril); Faé (Quixelô); Favelas (Tauá); Nova Floresta (Jaguaribe); Serafim Dias (Boa Viagem); e o Sousa (Canindé) permanecemo secos.

O maior açude do Ceará, o Castanhão, está com 7,79% do seu volume. No fim da quadra chuvosa estava com 8,54%. Já o segundo, Orós, armazena 9%, contra 9,58% em de maio; e o terceiro, Banabuiú, 6,84%, chegou a 7,01%. Os 155 acumulam 16,13%, ates eram 17%. Alguns reservatórios voltaram a acumular água pelas precipitações dos últimos dias. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), teve chuva em 26 municípios, das 7h de segunda-feira às 7h de ontem, estão relacionadas a um Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL), explicou o meteorologista Davi Ferran. As maiores foram em Pacatuba (94.5mm); Maracanaú (91mm); e Caucaia (74mm), todos na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

No Ceará, o DOL deverá continuar provocando nebulosidade variável com chuva no Litoral e no Maciço de Baturité, no Cariri e na região Jaguaribana. Para as demais regiões, há possibilidade de chuva. Esse quadro deve continuar amanhã. Apesar das precipitações dos últimos dias o volume pluviométrico provocado pelo DOL é bem inferior ao da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), principal sistema responsável pela quadra chuvosa do Ceará. "A média de chuvas de abril foi de 211mm. Nestes 10 dias de julho choveu apenas 15mm. Os açudes voltaram a sangrar porque, além de já estarem praticamente cheios são de menor porte", ressaltou Ferran.

AÇUDES

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.