Mudanças assustam

Requalificação do Cristo preocupa moradores da área

A reforma do monumento no Bairro Alto do Cristo visa valorizar o antigo espaço turístico

00:00 · 10.02.2018 por Marcelino Júnior - Colaborador
O monumento fica num mirante caracterizado como região turística, mas que apresenta sinais de abandono ( Fotos: Luiz Queiroz )

Sobral. Um dos monumentos considerados a cara do Brasil, principalmente para turistas estrangeiros, o Cristo Redentor, com sua amistosa imagem, de braços abertos no alto da Baía da Guanabara, no Rio de Janeiro, também se faz presente em outras cidades brasileiras, numa escala o bem menor.

Em Sobral, no Semiárido cearense, a imagem também faz parte do cotidiano dos cerca de 7 mil moradores do Bairro Alto do Cristo, localizado na periferia da cidade. Erguida na parte mais alta de um monte, a estátua abre seus braços à cidade, proporcionando ao visitante uma visão privilegiada, que vai além das casas, até onde a vista possa alcançar no horizonte.

Construído em maio de 1938 pela Diocese de Sobral, o Cristo Redentor, com seus 28 metros de altura, há muito faz parte de um cenário de abandono, não lembrando em nada o local que antes servia de espaço a missas regulares, rezadas sempre aos domingos.

Ao redor, a estrutura está danificada, em sua base de concreto; apresentando partes quebradas e também paredes pichadas. Faltam pedaços do piso, e a grade de apoio ao mirante, com vista para a Serra da Meruoca, foi quebrada.

De acordo com relatos dos moradores, antes, eles mesmos ajudavam na manutenção do monumento, que foi perdendo destaque, ao longo dos anos, até se transformar em ponto de uso de drogas. "Com o tempo, os moradores foram deixando de frequentar o Alto do Cristo. Daí, os vândalos tomaram conta. O local ficou esquecido", lamenta a dona de casa Fátima Vieira.

Promessa

O morador Adriano de Souza concorda com Fátima Vieira, não apenas quanto à falta de manutenção ao importante monumento, mas com a pouca segurança em seu entorno. "Aqui, precisa de mais policiamento. Vez ou outra, chegamos a ouvir tiros nas proximidades do Cristo. Todos os anos temos a promessa, por parte do Poder Público, que haverá uma grande reforma, mas, até hoje, nada foi feito pelo nosso Cristo Redentor, que também já foi um belo cartão-postal de Sobral, e hoje não recebe mais nenhuma visita", reclama o morador, que se refere com curiosidade ao projeto de revitalização do monumento do Alto do Cristo apresentado ao longo de gestões municipais passadas, mas que nunca saiu do papel. As mudanças anunciadas no passado se referiam à construção de um espaço de lazer, com amplo jardim e nova iluminação; mas nunca foi divulgada uma data para início das obras.

Revitalização

Por conta da constante reclamação dos moradores, Em 2015, o Alto do Cristo passou por uma pequena reforma, recebendo pintura, mutirão de limpeza, em seu entorno, e instalação de uma barra de proteção, no acesso ao pés da estátua.

O trabalho foi realizado pela Secretaria de Conservação e Serviços Públicos. Mas, sem a presença de guardas municipais, responsáveis por proteger o patrimônio público, como ocorre em outros monumentos localizados em áreas mais ao Centro da Cidade, aos poucos, o Alto do Cristo voltou a ser depredado.

Neste ano, a nova gestão apresentou aos moradores, por meio da Secretaria do Urbanismo e Meio Ambiente, o esboço do novo projeto de restauração da imagem e urbanização do entorno.

Projeto

A ideia do projeto é criar novos espaços de convivência para a comunidade, como praças e áreas verdes, além de garantir maior acessibilidade, voltando a valorizar um dos principais cartões-postais da cidade. Mas, apesar dos esclarecimentos dados à população, algumas pessoas ainda têm dúvidas em relação às suas moradias, muitas delas, construídas a poucos metros da estátua.

"Esse lugar era para ser bem limpo e bem cuidado, mas sem precisar tirar nossas casas daqui. Eu tenho medo de deixar minha casa", diz a aposentada Maria de Jesus de Sousa.

Imóveis

De acordo com a secretária Marília Gouveia Ferreira Lima, titular da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente de Sobral, toda a área passará por uma grande requalificação, desde o monumento, que será revestido com material nobre, como granito, que garantirá mais resistência, beleza e valorização, até a criação de áreas de lazer e passeios públicos.

O projeto, que se encontra em sua fase final de elaboração, focará na requalificação das áreas livres, não se referindo a moradias. "É importante ressaltar que nenhuma moradia será afetada. O que teremos naquela área será sua valorização, principalmente nos espaços de convivência. O impacto será extremamente positivo, com, inclusive, a valorização dos próprios imóveis que ali se encontram", afirma Marília Ferreira Lima.

Turismo

As mudanças prometidas pelo projeto pretendem reinserir o monumento do Cristo Redentor no itinerário de visitas turísticas da Cidade, que tem se focado em áreas mais centrais.

"Com a requalificação, eu acredito que ali será mais um espaço que passará a chamar a atenção. Certamente teremos mais um local público contemplado com visitas, como ocorre em pontos como o Centro Histórico e a Margem Esquerda do Rio Acaraú. Ao fechar o projeto executivo, entraremos no processo licitatório, só então teremos a obra iniciada. Acredito que isso ocorra com a maior brevidade possível", adiantou, ainda, a secretária.

Para Fátima Vieira, apresentada no início dessa reportagem, o que resta é esperar pela tão sonhada mudança, mas com a preservação das casas no entorno do monumento.

"Eu fico toda orgulhosa quando me perguntam onde eu moro, e respondo: no Alto do Cristo. Isso para a gente é como você falar de um pai bom, de um ente querido que está sempre aqui perto, zelando por nós. Só queremos que a prioridade seja o cuidado com as pessoas que representam esse lugar", finaliza a dona de casa.

Enquete

O que você acha dessa obra?

"Eu acho importante porque valoriza mais o local. Mas, por outro lado, muita gente acredita que vai ser prejudicada, como minha avó, que mora ao lado, há 23 anos. Ela recebeu a visita de pessoas da Prefeitura para explicar o projeto e o que vai mudar. Pelo desenho, a gente não vê casas, só áreas de lazer"

João Victor de Lima
Estudante

"Eu não sou de acordo com a mudança da forma que está sendo divulgada. Trabalho há quatro anos como segurança de uma rádio ao lado, e o prédio terá que ser derrubado, segundo o que vimos do novo projeto. O espaço vai ficar muito bonito, mas existe essa dúvida se é necessário mesmo mudar tanto"

João Rodrigues
Vigilante

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.