MISSÃO CATÓLICA

Quixadá se torna referência na formação de padres

O processo começa com o engajamento dos jovens nas pastorais das localidades onde residem

Em dezembro de 2017, quatro seminaristas foram ordenados pelo bispo da Diocese de Quixadá, dom Ângelo Pignolli, sendo três padres e um diácono
00:00 · 27.01.2018
No fim deste ano, 15 deles receberão a ordenação e poderão atuar nas dioceses de Quixadá, do Crato, Iguatu, e de Cajazeiras, na Paraíba ( Fotos: Alex Pimentel )

Quixadá. A formação sacerdotal está voltando a ganhar força na Diocese de Quixadá. Quando foi criado, em 1977 o Seminário Diocesano desta cidade, que recebe o nome de Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão, chegou a contar com 75 seminaristas. O passar do tempo afastou um pouco os jovens do interesse pela batina religiosa, mas focada em uma nova formação, fortalecida com professores doutores nos cursos de Filosofia e de Teologia, o Seminário Menor, então Centro Vocacional Pio XII, passou a atrair novamente o interesse de outras dioceses do Ceará e até de outros estados.

No fim deste ano, 15 deles receberão a ordenação e poderão atuar nas dioceses de Quixadá, do Crato, Iguatu, e de Cajazeiras, na Paraíba, para onde a territorialidade religiosa católica também se estende. Cinco estudantes são egressos da Diocese do Estado vizinho. Outra parte já concluiu a graduação em Filosofia; estão no segundo ano de Teologia, dando os passos finais para ingressarem definitivamente na vida religiosa. Nos próximos oito anos serão mais 38 padres, explicou o reitor do Seminário de Quixadá, padre Francisco Otaviano.

Dificuldades

A jornada não é fácil. O processo começa com o engajamento dos jovens nas pastorais das localidades onde residem. Eles procuram os párocos e manifestam o interesse pela dedicação à Igreja Católica como seus representantes. Então são inscritos para a formação da Diocese, a partir da recomendação do pároco local. Aprovados pelo bispo, participam do Ano Propedêutico, de iniciação da vocação religiosa. "Esse período ocorre para confirmar se realmente o candidato pretende se dedicar às atividades sacerdotais", acrescenta.

A partir de então, as respectivas dioceses assumem a formação dos futuros padres, custeando os cursos superiores, a hospedagem, alimentação. O Seminário de Quixadá foi transformado em uma moderna hospedaria e centro de reflexão dos seminaristas. Os cursos superiores, considerados entre os melhores do Estado, são oferecidos pelo Centro Universitário Católica de Quixadá, a Unicatólica, fundada pela Diocese, agora mantida por uma Associação presidida pelo bispo dom Ângelo Pignoli. Diferentemente das antigas formações, os seminaristas dividem os mesmos espaços com os universitários dos cursos regulares.

Os seminaristas reconhecem o agradável ambiente em Quixadá. Todos são jovens, com menos de 30 anos. No Seminário, além dos dormitórios, têm à disposição uma biblioteca, uma capela e até uma área para atividades físicas. Todas as manhãs, às 6 horas, participam da missa e, em seguida, é servido o café da manhã. Logo depois partem para os estudos. Eles consideram o ambiente muito propício à formação dos seus candidatos ao ministério sagrado.

Formados, eles voltam às comunidades após a ordenação. Deixam de ser leigos para se tornarem clérigos, e, como diáconos, podem assistir casamentos, realizar batizados, fazer homilia e dar a bênção. Esse estágio pastoral ocorre por um ano na paróquia para onde foi indicado. Quixadá possui 20 paróquias e duas áreas pastorais. A Diocese de Quixadá conta com 50 padres. "Essa vocação é um mistério. Ela nasce no coração de Deus", acrescenta o padre Francisco Otaviano, ordenado em 2012 e reitor do Santuário há quatro anos.

A partir das suas virtudes o padre pode ser eleito bispo, podendo chegar ao cargo de arcebispo, cardeal e até papa. No caso do bispo, ao completar 75 anos, é obrigado, segundo as normas da Igreja, a deixar o comando da Diocese e se torna bispo emérito. Os padres cumprem a mesma regra. No Ceará, além de Quixadá, o Seminário da Prainha, em Fortaleza e o São José, no Crato, são os mais antigos.

Família ensina

Antes de perceber a sua vocação sacerdotal, Francisco Adolfo Santos de Lima pretendia ingressar no Ronda do Quarteirão, a polícia diferenciada criada pelo governo do Estado em 2007. Passados dez anos, ele está no 2º Ano de Teologia. Nascido em Juazeiro do Norte, onde vive até então, juntamente com outros cinco irmãos, dois homens e três mulheres, atribui aos avós, por quem foi criado, o interesse religioso. Em 2011, começou a participar de um grupo de orações, "Quem como Deus".

A partir do convívio com o casal coordenador do grupo, Guto Azevedo e Zulene Parente, se envolveu ainda mais, despertando o desejo de conhecer os mistérios de Deus. Entretanto, para o seminarista, os momentos mais fortes para essa decisão surgiram na família, com os avós, quando sentavam à mesa para as refeições e oravam. Havia ali um motivo para aquele agradecimento diário.

Natural de Bonito da Santa Fé, uma pequena cidade do Interior da Paraíba, distante 515Km da capital, João Pessoa, Aldeanes de Souza Gomes, 27, percebeu o seu interesse pelo sacerdócio quando viu pela primeira vez um padre celebrando uma missa. Ele se encantou, principalmente pelo ato da consagração, quando o sacerdote traz Jesus ao mundo, no momento da eucaristia. A passagem é indescritível, mas é sentida pelo espírito.

Irmão mais novo de seis, para Aldeanes, poder sentir esses momentos é um dom de Deus. Desde então, dedicou sua fidelidade no amor a Jesus, respeitar e cumprir a missão de levar os seus ensinamentos, se entregar ao Sagrado. Ele não imaginava apenas uma longa jornada. Até o primeiro sinal da cruz diante dos fiéis, são necessários nove anos. Sua caminhada foi iniciada em 2012, quando ingressou na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras (Fafic).

Enquete

Por que você pretende se tornar padre?

"Identifico-me com a dedicação à comunidade. Poder ajudar as pessoas e auxiliá-las espiritualmente, através da Igreja Católica, é uma realização abençoada por Deus"

Francisco Adolfo Soares de Lima, 26
Seminarista de Juazeiro do Norte

"Pessoalmente, poder concretizar essa missão, a do amor de Jesus aos filhos de Deus, na condição de um dos seus missionários, é uma satisfação sagrada"

Aldeanes de Souza Gomes, 27
Seminarista de Cajazeiras (PB)

Mais informações:

Seminário Diocesano de Quixadá
Nossa Senhora Imaculada
Rainha do Sertão
Rua Basílio Emiliano Pinto, 1179 - Combate
Telefone: (88) 3412-3229

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.