Profetas das chuvas prevêem “bom inverno” - Regional - Diário do Nordeste

Sertão Central

Profetas das chuvas prevêem “bom inverno”

08.01.2009

Diagnóstico popular de rastreadores das chuvas aponta para boa quadra invernosa no Interior do Ceará este ano

Quixadá. “Um bom inverno”. Assim devem afirmar Antônio Lima, Chico Leiteiro, Erasmo Barreira, Paroara e Paulo Costa, ao anunciarem os resultados das observações dos sinais da natureza para antever as chuvas no Estado, durante o tradicional Encontro dos Profetas das Chuvas, na manhã do próximo sábado em Quixadá. Os cinco estão entre os mais reconhecidos na região quando o assunto é previsão popular das chuvas. Seus prognósticos atingem mais de 70% de acerto dos índices pluviométricos que se consolidam a seguir, na estação chuvosa sertaneja. Por conta dos acertos, são ouvidos com atenção pelos agricultores. Apostam nas projeções deles a esperança em boas colheitas nas culturas de sequeiro.

As observações otimistas do quinteto já foram concluídas. Apontam o início das chuvas ainda no fim de janeiro, mas serão esparsas. A quadra deverá se configurar mesmo somente no começo de março. Até lá devem ocorrer precipitações em fevereiro, mas irregulares, segundo apontam. Eles não precisam quando as nuvens mais carregadas chegarão, mas até a consolidação do período devem ser o suficiente para o início do trato das lavouras. Os estudos do grupo indicam a continuidade do quadro até o fim de junho, quando ocorrerá o fenômeno atmosférico de forma mais intensa.

Boas indicações
Embora utilizando elementos diferentes para a confirmação de suas análises, os diagnósticos de todos têm como base os sinais da natureza. Na flora, na fauna, na atmosfera e nos astros, os fenômenos apreciados a partir do fechamento da estação anterior indicam-lhes as boas perspectivas para 2009. Assim como ocorreu no ano passado, as chuvas favorecerão o cultivo de legumes. Paulo Costa e Paroara afirmam que as chuvas devem ficar na média de ocorrência em períodos passados. Já Antônio Lima e Chico Leiteiro garantem chuvas mais freqüentes no fim do período. Erasmo Barreira é mais otimista. Vai ter muita água em toda a estação, segundo prevê.

Apesar do quadro favorável, eles não descartam a possibilidade de redução pluviométrica em algumas áreas do Estado, na comparação com o ano de 2007. Associam a situação a degradação do meio ambiente. As enchentes registradas recentemente no Sul do Brasil é um exemplo. “Se sobra muita água em um determinado lugar, noutro pode faltar”, comentou outro profeta, Chico Leite, respeitado por suas exposições seguras. Mesmo assim, ele e os colegas descartam a escassez de água no Nordeste. Definem a possibilidade adversa como um inverno regular.

Clima de expectativa
As previsões do restante dos cientistas populares será conhecido somente depois de amanhã, durante o encontro em Quixadá. Até lá, o clima ainda será de expectativa. São esperados mais de 30 profetas das chuvas de todo o Estado. Luiz Gonzaga representará o município de Camocim.

O geógrafo Cáio Lóssio Boetlho, com mais de 40 anos dedicados aos estudos climáticos do semi-árido nordestino, deverá estar presente. Ele não participou do último encontro. Técnicos da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) também são esperados.

A respeito do controle de participantes, um dos organizadores do Encontro, João Soares, apontou como certa a oportunidade para todos os profetas que têm se pronunciado nos Encontros anteriores. Ninguém será impedido de apresentar suas previsões. Também não serão questionados acerca da credibilidade de suas experiências.

ALEX PIMENTEL
Colaborador

O QUE ELES PENSAM

Sinais da natureza são estudados

"Tenho sentido sopro do vento de madrugadas. Está dos bons, lento e rasteiro. Se tivesse avexado, era para se preocupar. Vi besouro serrador cortar juazeiro, algaroba e jucá. Mostra que não vai faltar inverno".
Paroara
Poeta

"O cururu anda cantando. As colméias crescem e a primeira lua de janeiro surgiu com barra enorme. Tem mais sinal bom. Se o inverno não for igual ao de 2008, será melhor".
Chico Leiteiro
Agricultor

"Quando o João de Barro constrói a casa e deixa a porta virada pra o poente é certeza de chuva. O cacho de inchuí gordo é sinal de chuva. No fim fevereiro, começa a cair água".
Erasmo Barreira
Aposentado

"Observei pássaros, cupins e formigas com cuidado. Não há porque não termos um inverno bom. A agitação é a mesma de 2008. Apenas não temos como apontar se serão esticadas".
Antônio Lima
Agricultor

"Vamos nos deparar com um quadro atípico. Chove em janeiro e fevereiro, água leve. Depois, chuvas localizadas. As precipitações não serão frequentes".
Paulo Costa
Odontologista

Mais informações:
Instituto de Pesquisas de Violas e Poesia Cultural do Sertão Central
(88) 3445.0020
E-mail: josoaresdefreitas@hotmail.com

INPE

Pluviometria deve ser dentro do “normal”

Quixadá. o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) já divulgou previsão climática para os meses de janeiro, fevereiro e março de 2009. Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), o fenômeno La Niña voltará a se intensificar no Brasil nesse período.

Para a Região Nordeste, o estudo indica maior probabilidade de chuvas dentro das categorias normal (40% de chances) e abaixo da média histórica (35%). As chances de precipitações acima da média história são estimadas em 25%. Quanto as temperaturas, a previsão indica temperaturas próximas à média histórica para a Região Nordeste.

De acordo com o estudo meteorológico, após mostrar contínuo enfraquecimento durante três a quatro meses, o fenômeno do La Niña mostrou sinais de intensificação no Oceano Pacífico durante novembro de 2008, dado levado em consideração para as previsões futuras da estação esperada.

Enquanto isso, como tem ocorrido nos últimos anos, as previsões dos cientistas populares antecedem o diagnóstico apresentado pela Funceme. O órgão estadual de monitoramento do clima e tempo apresentará seus estudos somente daqui a três semanas. Os especialistas se reúnem no dia 19 e no dia seguinte divulgam o prognóstico oficial.

Segundo a assessoria de imprensa da Funceme, a análise final depende das observações da zona de convergência intertropical do Oceano Atlântico. Se ficar próxima da linha do Equador o quadro não será favorável, terá poucas chuvas. Eles já colheram os estudos dos fenômenos registrados no Pacifico. Os efeitos do “El Nino” e “La Niña” foram neutros.

Sobre a participação no Encontro dos Profetas das Chuvas justifica, os organizadores justificam que apenas os considerados “intrusos ocasionais”, serão orientados a não utilizarem o espaço para fazerem exibicionismos como brincadeiras de que “se cair água é porque vai chover ou se não chover nada vai ser ano de seca”.

“Há mais de uma década temos nos preocupado com esse importante segmento da cultura do nosso povo. Trabalhamos pela preservação dessas metodologias de observação da natureza, herdadas geração a geração. A nossa preocupação consiste na manutenção e respeitabilidade desses costumes. Embora pareça algo muito simples, o sertanejo ainda deposita suas esperanças nas previsões desses homens. Suas considerações ganharam destaque nacional e internacional”, ressaltou João Soares, que diz esperar boa participação.

PARTICIPANTES

30 profetas das chuvas de todo o Estado do Ceará são esperados para participarem do encontro, que acontecerá, no próximo sábado, no município de Quixadá, no Sertão Central

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999