Negociação

Orçamento do Cinturão das Águas cai 54,65%

O secretário de Recursos Hídricos foi a Brasília negociar o aumento no orçamento da obra de interligação hídrica

Segundo a Sohidra, o lote 5, de túneis, tem mais 93% do previsto. O mais preocupante é o lote 2, com 53% das obras realizadas ( Foto: Antonio Rodrigues )
00:00 · 06.02.2018 / atualizado às 00:18 por Antonio Rodrigues - Colaborador

Juazeiro do Norte. O titular da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Francisco Teixeira, viajou, ontem (5), para Brasília, com a finalidade de discutir o orçamento anual para o Cinturão das Águas do Ceará (CAC). O Ministério da Integração irá repassar R$ 95 mi em 2018, enquanto, no ano passado, o investimento chegou a R$ 209,5 mi. Isto representa uma redução de 54,65%.

Francisco Teixeira, deve se reunir com o secretário de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, para discutir, principalmente, este orçamento e, também, ter notícias mais recentes sobre o Projeto de Integração do Rio São Francisco, que abastecerá o CAC. Até agora, já foram investidos mais de 50% do valor total para o Trecho 1 da obra cearense. "Nossa preocupação foi o orçamento limitado. A gente investiu, nos últimos três anos, R$ 209,5 mi, R$ 220 mi e R$ 216 mi", explica.

O secretário destaca que a redução no orçamento não foi decisão do Ministério da Integração, mas do Congresso Nacional. "A gente quer pelo menos R$ 200 mi, R$ 220 mi, que é mais ou menos o valor que veio nos últimos anos", completa. Com o objetivo de aumentar o valor, ele deve também conversar com os parlamentares cearenses.

No dia 28 de dezembro, o governo do Estado recebeu R$ 65 mi, que garantiu os pagamentos das empreitaras que trabalharam nos meses de outubro, novembro, dezembro e janeiro. No entanto, apenas R$ 17 mi restaram para tocar a obra. Por outro lado, no último biênio, o montante já atingiu R$ 469,3 mi, quase o dobro dos anos de 2014 e 2015.

A urgência se dá pela necessidade de concluir o eixo emergencial. Com 53Km extensão, ele já tem 68% de avanço físico nos lotes 1, 2 e 5. Este setor, de canais, túneis e sifões, levará água do Rio São Francisco até o Açude Castanhão, que abastece Fortaleza. Toda a primeira etapa, que vai de Jati a Nova Olinda, tem 149Km e pouco mais da metade foi feito nos cinco lotes totais.

Segundo a Superintendência de Obras Hídrica (Sohidra), lote 1 foi o que mais avançou e está, praticamente, concluído, em seus 38Km. Já o lote 5, de túneis, tem mais 93% do previsto. O mais preocupante é o lote 2, com 53% das obras realizadas. No entanto, a etapa do eixo emergencial, de 9,2Km, já tem mais de 80%. Os lotes 3 e 4 estão parados, mas apresentam 19% e 4,2%, respectivamente.

De acordo com o diretor de águas superficiais da Sohidra, Antônio Madeiro de Lucena, caso o Governo do Estado conquiste, pelo menos, R$ 160 mi, é possível terminar os 53Km do eixo emergencial e dar continuidade ao Lote 2. "R$ 95 mi é um orçamento ridículo", destaca. Para ele, com o "Velho Chico" fornecendo 380 mi m³/ano, garantiria água para a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Segundo Lucena, caso as chuvas deste ano fiquem acima da média e impeçam que as obras no CAC continuem, pelo menos Castanhão poderá reter água e abastecer a RMF. Por outro lado, as empresas estão com receio de trabalhar na obra, porque, algumas vezes, o repasse só chega três meses depois, causando demissões de trabalhadores. "O empreiteiro sabe que, com R$ 17 mi, não tem perspectiva. Não pode trabalhar com suposição. Mas, se mandarem R$ 160 mi, já era uma maravilha", completa.

A previsão é de que, até maio de 2018, estes 53Km sejam concluídos e a água possa chegar até o Riacho Seco, em Missão Velha. De lá, percorrerá 13Km até o Rio Salgado, seguindo por gravidade até o Jaguaribe, que abastecerá o Açude Castanhão.

Integração de Bacias

O presidente Michel Temer, que visitou o Projeto de Integração do Rio São Francisco, em Cabrobó (PE), na sexta-feira (2), anunciou que fará um estudo para integrar as bacias dos rios São Francisco e Tocantins. Esta obra teria cerca de 220Km e garantiria a chegada da água até a Bahia. "Será a redenção do Rio São Francisco e do Nordeste", afirmou o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho. Com o sinal verde de Temer, uma equipe técnica do Ministério iniciará o Termo de Referência, que dará início ao processo de seleção da empresa qualificada para elaborar o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA).

Eixo Norte

Preocupação do governo do Ceará, a primeira meta (1N) do Eixo Norte, que conduzirá água até Penaforte (CE), teve avanço com a inauguração da segunda Estação de Bombeamento (EBI-2), em Cabrobró (PE). Hoje, a Meta 1N apresenta 94,92% de avanço físico e conta com 1.790 profissionais contratados nas 27 frentes de serviço do trecho, ao longo dos 140Km. O número do efetivo aumentará 20% neste mês, chegando a 2.148.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.