Aporte

Em 20 dias, Castanhão dobrou seu volume de água, mas situação ainda preocupa

Maior reservatório do Estado passou de 3,8% para 7,6% de sua capacidade entre os dias 31 de março e 19 de abril

Atualmente, segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos, o açude Castanhão está com 506,9 milhões de metros cúbicos (m³) de água ( Foto: Honório Barbosa )
09:33 · 20.04.2018 / atualizado às 09:37

Maior reservatório do Estado e responsável por abastecer diversas cidades da região Jaguaribana, além da própria Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), o Castanhão viu seu volume dobrar em apenas 20 dias, beneficiado, principalmente, pelas fortes chuvas registradas no Ceará neste mês de abril. Atualmente, o açude está com 7,6% da capacidade preenchida, o que corresponde a 506,9 milhões de metros cúbicos (m³) de água.

De acordo com dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), no último dia 31 de março o volume de água do Castanhão era de 3,87%, um resultado que já havia superado o último inverno em aporte. Ocorre que nesta quinta-feira (19), durante o último levantamento realizado, o reservatório já estava com 7,57% de sua capacidade, tendo recebido um incremento, somente no período em questão, de 247,7 milhões de m³.

Leia ainda:

> Quixeramobim: em 3 dias, açude foi de volume morto a 73% da capacidade
> Castanhão tem maior aporte de água do Ceará

Apesar do aporte considerável neste mês, a situação do Castanhão ainda é considerada crítica, despertando, inclusive, preocupação no governador do Estado, Camilo Santana. "(O açude) precisa pegar mais água para nos garantir certa tranquilidade até que a transposição do Rio São Francisco seja concluída", disse o chefe do executivo estadual na última terça-feira (17), em entrevista ao programa Paulo Oliveira, na Rádio Verdes Mares.

Água para RMF gera revolta

Na última segunda-feira (16), produtores rurais, vereadores, prefeitos e representantes de entidades de classe discutiram, em audiência pública realizada na Câmara Municipal de Jaguaribara, a transferência de água do Castanhão para a RMF, por meio do Eixão das Águas. Em meio a um clima de indignação, os representates de municípios da região defenderam que ainda não havia aporte suficiente no reservatório para transferir recursos hídricos para a Região Metropolitana de Fortaleza, por meio de bombeamento.

Na próxima semana, será elaborado um documento a ser entregue ao Governo do Estado solicitando a suspensão da transferência de água até o fim da quadra chuvosa e medidas compensatórias para a região. "Não somos contra a retirada de água para Região Metropolitana de Fortaleza, mas não podemos ser prejudicados", frisou o prefeito de Jaguaribara, Joacy Alves dos Santos Júnior. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.