Nesta terça-feira (17)

Chuvas voltam com intensidade ao Ceará, da região Jaguaribana ao Norte do Estado

Em Fortaleza, precipitações desde a madrugada deixam ruas alagadas e causam engarrafamentos

07:24 · 17.04.2018 / atualizado às 12:51
chuva
Praça do Guaracy, em Guaraciaba do Norte. Foto: VC Repórter/WhatsApp ( Foto: VC Repórter/WhatsApp )

As imagens que chegam de todo o Estado vão de barragens sangrando a ruas alagadas. As chuvas que voltaram ao Estado no mês de abril enchem de esperança o cearense castigado com sete anos de seca. Até a manhã desta terça-feira (17), já choveu 98,2% do previsto para todo o mês, segundo a Fundação cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). 

Mesmo assim, há os problemas ocasionados pela falta de estrutura das cidades para receber um volume maior de águas. Os mais comuns são os alagamentos, que também levam aos problemas no trânsito, com lentidão e acidentes. 

A Funceme contabilizou ao menos 122 municípios com registros de chuvas entre as 7h da segunda-feira (16) e as 7h desta terça. O maior volume foi em Aracoiaba, no Maciço de Baturité, com 136 mm. Em seguida, vieram as cidades do necessitado Sertão Central, onde Quixadá teve 125 mm e Ibaretama 122 mm. Cariré, na Ibiapaba, teve 104 mm. Tianguá, também no norte do Estado, registrou 103 mm, mesma quantidade de Maracanaú, na RMF. Amontada (101 mm) e Granja (100.0 mm), ambos também no norte, completam a lista de oito cidades que ultrapassaram os 100 milímetros no período.

Leia ainda

> Camilo: mesmo com chuvas, situação segue crítica em algumas regiões
> Distritos de Granja ficam isolados
> Água do Castanhão para RMF gera revolta 
> Melhoram os níveis dos açudes
> Ceará registra mais de 20 mil raios em 2018

Imagens chegam de todo o Estado

Região Metropolitana de Fortaleza (RMF)

Em Fortaleza, as precipitações desde a madrugada deixaram ruas alagadas e causaram engarrafamentos por toda a cidade, complicando a vida de quem precisava chegar no trabalho. Segundo a Funceme, o volume de chuvas na Capital foi de 65.4 mm. Na RMF, Maracanaú teve 103 mm e Pacatuba 98.5 mm; Em Aquiraz, foram 93 mm; em Maranguape 90.8 mm e em Beberibe 81 mm.

Chuva

Av. Raul Barbosa, em Fortaleza. Foto: VC Repórter/WhatsApp

Acude de Itapebussu, em Maranguape.

Sertão Central

Por outro lado, o Sertão Central tem recebido consideráveis volumes nos últimos dias, enchendo o sertanejo de alegria e esperança de dias melhores após tanto tempo de incertezas e sofrimento. Além de Quixadá e Ibaretama, Quixeramobim teve 65 mm; Quixadá, 64 mm e; Caridade, 63.2 mm.

Quixeramobim

Quixeramobim. Foto: Almir Maia/VC Repórter

Região Jaguaribana

Também na região Jaguaribana, os constantes aportes têm ajudado a recuperação do Açude Castanhão, o maior reservatório do Estado. Em Banabuiú foram 80.6 mm e 79 mm em Fortim. Em Morada Nova o volume foi de 76.9 mm; Em Ibicuitinga, foram 64 mm; Jaguaretama teve 51 mm; Aracati, 45.6 mm; Russas, 25.9 mm e; Itaiçaba, 24.6 mm.

chuva

Barragem do rio Jaguaribe em Itaiçaba. Foto: VC Repórter/WhatsApp

Litoral Norte

Já em Granja, na Zona Norte, a quantidade de água acumulada tem deixados comunidades isoladas e famílias desabrigadas. Lá, o sangramento de barragens, como a de Lima Brandão, já traz preocupação. Lá foram 100 mm no período. Em Amontada foram mais: 101 mm; Miraíma registrou 78 mm; Uruoca teve 73 mm e Sobral 65 mm.
 

Barragem

Barragem Lima Brandão Granja Foto: VC Repórter/WhatsApp

Inhamuns

Em Nova Russas, na região dos Inhamuns, não foi diferente, apesar de apenas 14 mm registrados. Não faltaram, inclusive, raios. Entretanto, até a publicação, não havia registro de chuvas na cidade pela Funceme. Por lá, Independência teve 65 mm.

chuva

Confira os maiores volumes registrados nesta terça-feira (17):

 
Chuva CE
Infogram

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.