STARTUPS

Negócios criativos estão despontando no Interior do CE

Utilizando as ferramentas certas, com um bom planejamento, logo surgem soluções inovadoras

00:00 · 23.06.2018 por Alex Pimentel - Colaborador
Image-0-Artigo-2417227-1
Oficinas de criação estimulam estudantes a pensar em necessidades e soluções para o desenvolvimento de novos negócios criativos e inovadores ( Foto: Alex Pimentel )

Quixadá. A cada encontro, uma nova ideia, prática e útil. Utilizando as ferramentas certas, com um bom planejamento, logo surgem soluções inovadoras, algumas para ficar e outras, temporárias, atendendo a necessidades casuais. Essa é uma rápida descrição das startups, empresas emergentes, com o objetivo de desenvolver um modelo de negócio, para um produto ou serviço, tendo como suporte a Tecnologia da Informação (TI). Elas estão se multiplicando no Interior do Ceará. Neste cenário o Vale do Silício cearense, como Quixadá está se tornando conhecida, é um dos destaques.

> O Corredores Digitais ajuda a transformar ideias em ações

A Cidade conta com importantes centros de formação tecnológica. Um deles está na Universidade Federal do Ceará (UFC) e o outro na Unicatólica. Os jovens vão conquistando conhecimento e, a partir dele, desenvolvendo suas ideias, e as transformando em negócios.

Alimentação

Um deles, o Copa do Mundo, um aplicativo, App, como são conhecidos, para plataformas de celulares, já ultrapassou a marca dos 400 mil downloads. Apesar de ser gratuito, funciona como uma vitrine de vendas para a equipe da Belong Tecnologia, explica um dos seus membros, Breno Viana.

Formada há pouco tempo, a startup já está conquistando espaço no mercado. Eles estão atuando no segmento de alimentos (food), com atendimento em domicílio (delivery). Além do acompanhamento da Copa, com a tabela virtual dos jogos, o aplicativo de uma pizzaria está rendendo dividendos. Outros estão em fase de planejamento.

Para conquistarem esse espaço Breno Viana, formado em Administração de Empresas, uniu os colegas Thiago Barbosa, graduado em Sistema de Informação; Wkerlyson Batista, em Desenvolvimento de Sistemas; e mais dois colegas da área de Administração, John Victor Oliveira e Ricardo França.

A Unicatólica de Quixadá criou um espaço especial para o desenvolvimento tecnológico, a SmartCatólica, uma incubadora de negócios.

Suporte

Como eles, outras equipes, de diversas cidades do Estado, estão começando a buscar o seu espaço no mercado. A Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (Secitece), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Ceará (Sebrae-CE), está dando suporte a essas empresas tecnológicas, por meio do Corredores Digitais, um programa considerado inovador, o qual, segundo seus idealizadores, além de aperfeiçoar ideias e projetos, proporciona grandes oportunidades de trabalho para os jovens empreendedores.

Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo, o Corredores Digitais está contemplando jovens empreendedores de todas as regiões do Ceará. De Quixadá, são 16 projetos; de Juazeiro do Norte, 13; de Sobral, 12; de Tianguá, 10 e ainda 30 de Fortaleza. Ao todo 100 projetos foram escolhidos, nas áreas da tecnologia, saúde, energia e meio ambiente, entre outros.

Algumas startups ganharam destaque pela consistência, ousadia de seus trabalhos e também pelo benefício que seus projetos podem levar para a população.

Smart Health

Um deles é o Smart Health. A startup tem o objetivo de desenvolver um dispositivo que auxilie no cuidado de pessoas idosas. De acordo com um dos seus idealizadores, Diego Martins, a ideia surgiu a partir da preocupação dos integrantes da equipe com seus avós e da paixão pelos desafios da tecnologia.

O projeto iniciou com o grupo de estudo formado por ele, Matheus Paixão, Kaio Igor, Alan Martins, Douglas de Paiva e Tatiane Matias. Eles são de Sobral e cidades vizinhas.

A proposta foi apresentada em uma startup weekend organizada pelo Sebrae-CE. Neste momento, foi formada a equipe, dois deles de Sobral, um de Reriutaba e um de Guaraciaba do Norte. Eles conquistaram o primeiro lugar Estadual da competição. Com isso, a vontade de tornar a pesquisa em um negócio deixou de ser apenas uma ideia e passou a ser possível. Por meio do Corredores Digitais, a equipe encontrou meios de alavancar o seu negócio.

Hemogame

Noutra região do Estado, no Cariri, outra equipe criou uma plataforma com o objetivo de ampliar a rede de doadores de hemoderivados no Brasil, a Hemogame. Nela, os doadores convidam amigos para a rede e validam doações nos centros de Hematologia, acumulam pontos, que podem ser trocados em benefícios da iniciativa privada que tem a responsabilidade social de apoiar a causa.

O custo para os usuários é apenas a vontade de querer salvar vidas. Para as empresas, é necessária uma participação no sistema de benefícios e uma mensalidade para trabalhar o marketing social. Nesse modelo de negócio, a nação brasileira pode ser beneficiada, até porque, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil tem apenas 1,8% da população doando sangue, abaixo do recomendado pela ONU. Além de ser uma forma mais prática e interativa de salvar vidas, já que várias pessoas estarão conectadas, desbloqueando conquistas e recebendo benefícios, ainda é possível localizar doadores compatíveis que estejam por perto, a partir da criação de campanhas.

De acordo com a acadêmica de Sistemas de Informação Valéria Brito, o projeto surgiu dentro da sala de aula, por ela e os colegas, Thomas Lócio e Vinicius Batista. Um deles trabalha no setor de Tecnologia da Informação de um hospital de urgência e emergência, e vivencia diariamente a luta contra o desabastecimento dos bancos de sangue.

GrowTech

Outro projeto é o GrowTech. Ele surgiu para auxiliar pessoas que buscam ter uma alimentação mais saudável e uma melhor qualidade de vida dentro de suas próprias casas. Por meio de um aplicativo, possibilita a ligação entre o campo e a cidade, permitindo que essas pessoas possam produzir seus próprios alimentos em hortas caseiras, como orgânicos, frutas, verduras e legumes, usufruindo da sua produção dentro da própria casa.

Na avaliação dos idealizados, o projeto pode impactar a vida de milhares de pessoas. Com esses méritos, já conquistou alguns prêmios e validações, como o Prêmio Universitário Empreendedor do Ceará. Também foi umas das 15 startups do Brasil a participar do Programa Pense Grande.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.