Oportunidades

Música atrai cada vez mais jovens para estudar em Sobral

Os cursos oferecidos pela UFC e Escola de Música abrem um leque de oportunidades a novos talentos

O curso de violoncelo é um dos muitos oferecidos pela Escola de Música de Sobral, Criada para atender gratuitamente alunos da rede pública municipal, em sua maioria provenientes da periferia da cidade ( Foto: Marcelino Júnior )
00:00 · 09.06.2018 por Marcelino Júnior - Colaborador

Sobral. Com delicadeza, Tátila Pereira Costa fricciona as cordas do violoncelo. O formato do instrumento e sua estrutura robusta dão à musicista uma postura elegante e refinada. Ao executar uma composição musical, o som grave, enche a sala e se mistura a outros instrumentos de corda, como o violino.

A jovem, monitora bolsista de uma extensão de grupos do Curso de Música de Universidade Federal do Ceará (UFC), em Sobral, já está no ramo há um certo tempo. Cantora e percurcionista, Tátila se deixou levar pela curiosidade de iniciar a prática de um novo instrumento.

"É um desafio. Eu sempre quis fazer parte do grupo de cordas friccionadas, neste caso, tocando o violoncelo, que é um instrumento completamente diferente de tudo que já experimentei. Por meio dele, eu tenho descoberto novas possibilidades de me expressar. Para mim, a música representa muito. Por meio dela, eu sei quem sou, principalmente como mulher. Cantar, ou tocar um instrumento, me passa a ideia de empoderamento", diz a jovem, enquanto descansa para mais uma rodada de ensaios.

Oportunidade

Ao lado de Tálita, Francisco Alisson Silva, 18, também se prepara para acompanhar o restante da turma do Curso de Cordas Friccionadas da UFC. "Desde muito jovem, eu sempre me interessei por música. A paixão pelo violino vem do peso que esse instrumento tem, dentro de uma apresentação. A sonoridade dele me emociona. Estar aqui é a realização de um sonho, e saber que poderei passar esse aprendizado para outras crianças e jovens, me enche de esperança", explica o jovem, sempre atento às orientações do professor Israel Lopes da Silva, que veio da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), há pouco mais de um ano, em busca da oportunidade fazer parte do Curso de Licenciatura em Música, oferecido em Sobral.

"Esse projeto dá a oportunidade de crescer como instrumentista, além das disciplinas pedagógicas, ele garante também, a parte prática da música. Grandes cursos no Brasil não aliam esses dois importantes lados, do educador musical e do instrumentista", explica o professor, responsável por três turmas de cerca de 10 alunos cada, que se desdobram para aprender violino, viola, violoncelo e contrabaixo acústico, escolhas bastante incomuns no Semiárido brasileiro, diz o professor. "É um campo novo, praticamente embrionário, tendo em vista o desenvolvimentos desse tipo de orquestra de cordas ser bem mais difundida no Sul do País", compara.

Estrutura

Implantado em 2011, o Curso de Música de Sobral, implantado do Bloco Mucambinho, é o único em licenciatura do Interior do Ceará ligado à UFC. Todos os anos, aproximadamente 40 novos alunos ingressam nas turmas para uma jornada de formação de quatro anos. Ao sair, todos estão aptos a atuar como educadores musicais na rede de ensino pública ou privada.

Segundo João Emanuel Benvenuto, vice-coordenador do Curso, a música executada no campus vai além da estrutura universitária. "Estamos em plena atuação do projeto 'Música na Escola', executado todas as sextas-feiras com os grupos de extensão da Universidade em todas as instituições de ensino da rede pública de Sobral. Com o desejo de incluir também as da rede estadual", explica.

Ele antecipa, sobre o projeto, que apresenta aos estudantes da cidade, grupos de choro, orquestras, bandas de música, camerata de cordas friccionadas, grupos vocais, além de roda de conversa com os participantes para divulgar as atividades de extensão e fomentar pesquisas.

Não há nenhum tipo de teste de aptidão, ou habilidade específica para ingressar no Curso de Música da UFC, em Sobral. O interessado deve atingir a taxa de ingresso via Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Na primeira semana de integração, o aluno passa por aulas de teclado, cordas friccionadas, sopro e violão, práticas instrumentais ofertadas para escolha de uma delas, sempre reforçando os eixos do ensino, da extensão e da pesquisa, na busca por uma maior abrangência da comunidade.

"Na área da pesquisa, desenvolvemos várias linhas, com a colaboração de professores de outros países, como o Canadá, por exemplo, onde estão sendo trabalhados dois projetos, na ambientação do jovem no mundo atual e um outro que trata do ensino formal e informal da música, tanto numa cidade como Quebec, por exemplo, e uma cidade do Nordeste, como Fortaleza, onde vemos a procura de jovens em situação de risco em busca de oportunidades, por meio da música. Com esse perfil, Sobral, que recebe o Festival Eurochestries (três edições), que mobiliza, em dez dias, um extenso trabalho musical com profissionais e estudantes da Europa. Por enquanto, só é realizado aqui", explica a professora Adeline Stervinou.

Extensão

O trabalho realizado no Campus Universitário tem repercussão também nas salas de aula da Escola de Música de Sobral. Criada para atender gratuitamente alunos da rede pública municipal, em sua maioria provenientes da periferia da cidade, com perfil de baixa renda familiar e certa vulnerabilidade social, a instituição conta com apoio da UFC na execução de seu projeto político pedagógico com consultoria e formação de professores, além de parcerias para o avanço técnico do aprendizado dos alunos, como a extensão "Orquestra de Flauta Doce".

"A Escola, que atende em média 600 estudantes, nos três turnos, com cursos variados, ajuda a desenvolver nossos alunos, dando a eles uma ampliação da visão de mundo. Nosso foco é que a musicalização contribua para o desenvolvimento integral dessa pessoa, tendo contato com outro universo", finaliza a coordenadora pedagógica, Laiany de Sousa.

Enquete

O que a música representa para você?

Image-0-Artigo-2411217-1

"Crescimento. Sou de Miraíma e pertenço à Banda Municipal há dois anos. Acredito que o ingresso nesse curso incentiva outros jovens a buscarem crescimento na arte por meio da formação musical"

Henrique Pinheiro Lima

Tubista

Image-1-Artigo-2411217-1

"Para uma pessoa que vem da periferia como eu, a música é inspiradora e motivadora. Quero muito aproximar essa arte de outros jovens do meu bairro, influenciar a buscarem a música como inspiração para a vida"

Carla de Carvalho

Saxofonista

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.