Readequação

Museu de Paleontologia será reinaugurado hoje

Serão abertas três exposições "Fósseis do Cariri", "Fossilis - Olhares sobre a Chapada", e o Memorial Plácido Cidade Nuvens ( Foto: Osmanda Moura )
00:00 · 17.01.2018

Santana do Cariri. A Universidade Regional do Cariri (Urca) reinaugura hoje, às 18h, o Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, que ganhou o nome do seu criador, falecido em 2016. Hoje, o museu recebe, em média, cerca de 9 mil visitantes por ano. A expectativa é que este número aumente com as reformas dos últimos dois anos.

Na ocasião, serão abertas três exposições "Fósseis do Cariri", "Fossilis - Olhares sobre a Chapada", e o Memorial Plácido Cidade Nuvens. São cerca de 7 mil peças, além da reserva técnica, reunindo material do período Cretáceo, de mais de 110 milhões de anos. Segundo o diretor do Museu, Sérgio Vilaça, a renovação traz uma outro jeito de expor o acervo, com conceituação na organização dos fósseis diferenciada e mais interatividade, atendendo recomendação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Sérgio Vilaça ressalta que ideia é implantar recursos tecnológicos para alcançar um público ainda maior. Para isso, está sendo construído um site interativo e um novo perfil nas redes sociais. A ação destaca o crescimento de visitantes que o Museu tem conquistado desde 2010, principalmente nos países da América Latina e Europa. Isso, graças à sua inserção no Geopark Araripe.

Segundo o reitor da Urca, professor Patrício Melo, em 2016, foi montado um grupo de trabalho para fazer uma avaliação do equipamento. Uma comissão foi criada entre os melhores pesquisadores de Paleontologia, que fez um relatório indicando as melhorias necessárias na infraestrutura, aspectos da exposição e seu acervo técnico.

"Hoje, tem um conselho técnico que destina a limpeza, estudo e tombamento das peças antes de ir para exposição. Além disso, tem dois pós-doutores trabalhando na reserva técnica, bolsistas e expositores-mirins. O grande ápice foi conseguirmos obter, pelo Governo do Estado, um recurso anual para gestão e colocá-lo dentro do projeto do Geopark, a criação do cargo de diretor do museu", exalta Patrício.

O reitor acredita que o futuro do equipamento é garantir mais acessibilidade para os visitantes. Para isso, está buscando angariar recursos, por meio de emendas parlamentares, para colocar elevadores e sinalizações específicas para pessoas com algum tipo de deficiência. "Falta melhorar o aspecto dos laboratórios, também queremos criar um ambiente para hospedar pesquisadores e que se fortaleça com a criação do mestrado em Paleontologia, na Urca, que ainda será aprovado", completa o reitor.

No Museu, foi criado um memorial permanente em homenagem a Plácido Cidade Nuvens, ex-prefeito de Santana do Cariri e, também, ex-reitor da Urca, com imagens, desde o momento em que ele fundou o museu, em 1985, até o seu falecimento. Nessa linha do tempo, é traçada a história do criador do Museu e do próprio espaço, com dois fósseis especiais, a Libélula, muito famosa; e o primeiro fóssil. (A.R.)

Mais informações:

Museu de Paleontologia

Plácido Cidade Nuvens

Data: 17 de janeiro

Horário: 18 horas

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.