CENTRO-SUL

Matadouro público sem estrutura é interditado

01:27 · 05.01.2009
( )

Técnicos constataram a precariedade da unidade que fazia o abate de animais de forma cruel, com uso de marreta

Cedro. Em face da precariedade de funcionamento e agressão ao meio ambiente do matadouro público desta cidade, na região Centro-Sul, a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) interditou administrativamente a unidade de abate. O Ministério Público Estadual ingressou com Ação Civil Pública na justiça local para apurar as reclamações dos moradores. Há denúncias, entretanto, de que animais consumidos pela população no mercado público passaram a ser abatidos de forma clandestina, a chamada ´moita´, sem nenhuma fiscalização.

O promotor de Justiça Leydomar Nunes Pereira disse que vai apurar as novas denúncias e espera que a Prefeitura adote as providências necessárias para a regularização do matadouro. O Diário do Nordeste recebeu, por meio do “Alô Redação”, reclamação do estudante Leonardo Freitas de Paula, 23 anos, que apresentou relato da matança clandestina de bovinos, ovinos e suínos e da precaridade de funcionamento da unidade local de abate.

Inspeção

O Ministério Público solicitou da Semace e do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) visita técnica e laudo de inspeção sobre as condições físicas e de funcionamento do matadouro público deste município. Os técnicos constataram a precariedade da unidade que faz o abate de animais de forma cruel, com uso de marreta e machado, as carcaças são jogadas a céu aberto, atraem cachorros e urubus e os resíduos sólidos ficam acumulados, sem tratamento.

De acordo com o laudo da Semace, dejetos e águas usadas são despejados diretamente no solo e escorrem para o Riacho Vaca Brava, que desagua no Açude São Miguel. O relatório do CRMV também revela a falta de brete de contenção dos animais, precária condições de estrutura externa e interna, paredes sem revestimento e piso danificado e permeável, contato da carne com o piso, ausência de mesa de inspeção sanitária e de um responsável técnico, fardamento, proteção e transporte inadequado.

“A conclusão é clara no sentido de que o matadouro não oferece as condições mínimas de funcionamento”, disse o promotor de Justiça, Leydomar Pereira. O estudante Leonardo de Paula disse que o abate é feito de forma clandestina em sítios e áreas rurais próximas à cidade de forma precária. “A venda dessa carne oferece risco à população”.

Audiência

Recentemente houve uma audiência na justiça local com a participação do ex-prefeito, Rodrigo Araújo, do representante da Semace, João de Melo Neto, do juiz de Direito, Edísio Meira Tejo Neto, e do promotor de Justiça, Leydomar Pereira, para discutir sobre as providências adotadas pelo município para sanar o problema da precariedade do matadouro e tratar da interdição administrativa da unidade.

Na ocasião, a Semace apresentou parecer favorável pela manutenção do embargo administrativo do matadouro. O juiz Edísio Tejo Neto concedeu prazo de 60 dias para o município apresentar defesa. Anteriormente, a Prefeitura por meio de sua representante Cláudia Adriene Sampaio de Oliveira, apresentou defesa prévia, informando sobre o início de obras de reforma do matadouro público e solicitação de recursos para a construção de uma nova unidade.

Na semana passada, o representante do Ministério Público Estadual visitou o matadouro e constatou a realização de serviços de melhoria de reboco, pintura, colocação de revestimento cerâmico na parede da sala de abate e início de construção de uma pequena unidade de tratamento dos dejetos líquidos. No início deste ano, a questão será retomada com a nova administração municipal.

O vice-prefeito eleito, Arnóbio Araújo, disse que o problema será discutido com o Ministério Público e a Semace para solicitar a suspensão do embargo administrativo. “A atual gestão já realizou alguns serviços de melhoria e vamos adotar as providências restantes necessárias para o devido funcionamento do matadouro”, disse. “O nosso interesse é de regularizar a situação o quanto antes”, finalizou.

Mais informações:
Secretaria de Obras do município do Cedro
Localizada na região Centro-SUl do Ceará
(88) 3564.0178

Honório Barbosa
Repórter

Autor da Pauta
Leonardo Freitas De Paula
• 23 Anos
• Estudante
• Enviado em 04/12/08

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.