RECURSOS HÍDRICOS

Liberação da água do Cedro é questionada

02:22 · 11.03.2004
( Jonas Sousa )
Quixadá (Sucursal) - Quando secou totalmente em 1999, o Açude Cedro deixou de abastecer a cidade de Quixadá. O fornecimento de água passou a ser feito pelo Açude Pedras Brancas através de uma adutora construída pelo Governo do Estado. Agora o Cedro está com mais de 30% de sua capacidade acumulativa. A Cagece, que é responsável pelo fornecimento, passou a utilizar a água do Cedro para ampliar sua área de atendimento. Por causa disso, a Câmara de Vereadores passou a questionar o procedimento.

O vereador José Everardo entrou com um requerimento solicitando explicações à gerência regional da Cagece. Argumenta que o Cedro é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e “não pode viver mais os momentos terríveis que viveu em 1999 e 2001”.

Os membros da Associação dos Pescadores do Cedro se dizem “revoltados” com a retirada da água. Para o líder dos pescadores, Augusto Lúcio, o problema tem que ser questionado, principalmente porque o Cedro com água consolida o Turismo na região e gera emprego e renda para milhares de pessoas que moram em suas cabeceiras.

“Essa água tem que ser preservada”, disse o vereador José Everardo. Para ele, os descasos do passado não podem ser repetidos, principalmente quando a Igreja Católica promove a Campanha da Fraternidade em prol do uso racional da água.

O assunto vai ser discutido em audiência pública pela Câmara dos Vereadores em data a ser marcada. O presidente do Poder Legislativo local, Cristiano Góes, disse ser totalmente contra a utilização da água do Cedro pela Cagece.

“Pedras Brancas está com muita água e é o responsável pelo abastecimento da cidade”, disse Cristiano. O vereador acrescentou que o Cedro é para outros objetivos e a preservação de sua água é um direito de todos os quixadaenses.

O gerente regional da Cagece em Quixadá, Cicinato Furtado Júnior, disse que a empresa tem autorização da Companhia de Recursos Hídricos (Cogerh) para utilizar a água do Cedro.

Ele explicou que a cidade precisa de 400 metros cúbicos por hora e o sistema do Açude Pedras Brancas fornece apenas 300 metros cúbicos. Acrescentou ainda que não implica em nenhum prejuízo para o Cedro e para a população. “Estamos retirando apenas 60 metros cúbicos por hora, menos da metade que o reservatório pede com a evaporação”, disse Cicinato.

O Açude Pedras Brancas, que fica entre Quixadá e Banabuiú, tem capacidade para acumular 420 milhões de metros cúbicos. Com as chuvas que caíram este ano, o reservatório está com cerca de 20% de sua capacidade e tem água suficiente para abastecer a cidade de Quixadá.

“Não há necessidade de se retirar a água do Cedro”, disse Evangelista Batista da Silva, presidente da Associação dos Moradores da Localidade de Sabonete, que é área do Açude Cedro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.