Exposição faz homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga - Regional - Diário do Nordeste

Cariri

Exposição faz homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga

24.08.2012

A mostra, que foi aberta oficialmente no Dia do Folclore, 22 passado, seguirá até o mês de dezembro

Crato Para refletir sobre a vida e obra do músico pernambucano Luiz Gonzaga e homenageá-lo pelo seu centenário, a pró-reitoria de extensão, ensino e administração da Universidade Regional do Cariri (Urca), em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura do Exú, está realizando a exposição "(En) Cantos: Natureza e cultura do Araripe na obra de Luiz Gonzaga, Rei do Baião".

Os visitantes vão poder conhecer um pouco da vida e da obra do Rei do Baião FOTO: YAÇANÃ NEPONUCENA


A mostra, que foi aberta oficialmente no Dia do Folclore, 22 passado, seguirá até o mês de dezembro. A exibição traz peças de fantasias usadas durante a apresentação da escola de samba Unidos da Tijuca, que teve a trajetória do músico como tema central do Carnaval 2012, no Rio de Janeiro.

Composição

A exposição foi composta a partir das obras de vários artistas, como o carnavalesco Paulo Barros, o xilógrafo José Lourenço e o pintor Paulo Bento, na qual foram feitas releituras da produção intelectual de Luiz Gonzaga. "(En) Cantos" vai além. Retrata também a riqueza natural da região do Cariri, bastante enfatizada nas canções do artista.

Da cultura nordestina, a mostra traduz as representações de cinco elementos, expostos em modo de vestimentas figurativas. Além das roupas, existem fotografias acompanhadas de fragmentos textuais das letras e composições representando a natureza e a cultura de seis Municípios que constituem o território do Geopark Araripe. As artes e fazeres tradicionais do Araripe, como a escultura em barro e madeira, são lembradas através de vídeos contendo os métodos do processo de produção de cada peça.

Mas, para transportar o visitante da exposição a uma rememoração dos shows de Luiz Gonzaga, a "(En) Cantos" conta com uma sala de multimídia, onde está sendo exibido um filme da última apresentação do artista na televisão.

Na película, o forrozeiro despediu-se da trajetória musical e anunciou o retorno a sua terra natal. Devido ao Rei do Baião ter retratado a religiosidade com veemência, a exposição destaca a relação dele com o Padre Cícero, por meio da devoção e crença popular. No espaço, estão representados um altar de oração, que frequentemente é encontrado nos lares sertanejos e, também, imagens de romeiros diante da igreja onde o religioso está sepultado.

Todos os espaços da exposição foram pensados para que haja uma interação do público visitante com a figura de Luiz Gonzaga e com os elementos da sua arte. Até agora, mais de 300 admiradores da obra já passaram pelo local.

Participação

Entretanto, a expectativa é de que mais de 5 mil pessoas participem da mostra. A pretensão da comissão organizadora é elaborar eventos para a discussão da produção artística, a partir dos temas específicos presentes na música do Gonzagão, como o meio ambiente, a religiosidade e os gêneros.

O projeto deverá funcionar a cada dia 13, dos meses subsequentes. De acordo com a pró-reitora de extensão e curadora da mostra, Sandra Nanci Ramos Freire, Luiz Gonzaga tornou evidente alguns tipos característicos do Nordeste brasileiro, como o vaqueiro e o cangaceiro.

Segundo ela, a própria indumentária do músico remete a esses elementos. "A importância da obra de Luiz Gonzaga não tem tradução. Ele projetou a cultura do Nordeste para todo o Brasil e para o mundo, tanto que, até hoje, está sendo reconhecido e continua influenciando muitos artistas", revela.

A exposição "(En) Cantos" foi elaborada, especialmente, para o estande da Urca na Expocrato 2012. O evento homenageou o centenário do Rei do Baião.

Na ocasião, um público estimado de aproximadamente 6 mil pessoas conferiram a mostra, onde diversos músicos e artistas regionais de vários ritmos e seguimentos tiveram a oportunidade de prestar reconhecimento a produção de Luiz Gonzaga. Manifestações de folguedos infantis levaram suas representações como colaboração.

Para dar continuidade aos trabalhos de reconhecimento da contribuição dele para a cultura brasileira, a exposição está aberta ao público. As entradas são gratuitas. Escolas da rede pública e privada da região estão sendo convidadas a agendar as visitas coletivas. A marcação pode ser feita na sede do Geopark Araripe ou pelo telefone (88) 3102-1237.

Com base na diversidade cultural regional, os curadores estão apresentando um material didático produzido por eles para servir de apoio ao ensino da arte e dos conceitos de educação patrimonial nas escolas.

No espaço, o Geopark Araripe está disponibilizando oficinas de brinquedos populares elaborados com material reciclado.

Durante a abertura da exposição, o grupo de forrozeiros Seguidores do Rei, que é originário da cidade de Exú e que buscou influência na obra Gonzaguiana e outras 50 crianças que participam de projetos sociais, na mesma cidade, em Barbalha e Juazeiro do Norte, apresentaram suas evoluções nas danças tradicionais nordestinas, entre as quais, xote, xaxado e baião, abordadas no repertório musical do Rei.

Rei do Baião

Uma das mais completas e importantes figuras da Música Popular Brasileira. O artista cantava sempre acompanhado de sua sanfona. As composições, geralmente, abordavam a figura do homem sertanejo, o clima, a vegetação e a fauna da região Nordeste, a religiosidade popular, além da cultura. Entre as letras mais conhecidas estão "A feira de Caruaru", "A morte do Vaqueiro", "Asa Branca", "Cintura fina" e "No meu pé de Serra". Luiz Gonzaga morreu vítima de uma parada respiratória.

Mais informações:

Universidade Regional do Cariri
Endereço: Av. Coronel Antônio Luiz,1161
Bairro: Pimenta- Crato
Telefone: (88) 3102.1200

YAÇANÃ NEPONUCENA
COLABORADORA

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999