Caricaturas

Cláudio começou desenhando super-heróis

00:00 · 24.03.2018

Cláudio Teixeira nasceu em Iguatu, no fim de 1974, ano de muitas chuvas e cheia do Rio Jaguaribe, que invadiu a cidade. Recebeu o dom, o talento para o desenho e a pintura. "Comecei aos nove anos, fazendo desenhos de super heróis, que via nas revistas de quadrinhos", relembra".

As folhas de papel ficavam cheias de rabiscos, desenhos que formavam uma sequência, uma historinha sem texto. Dividiam espaço com as anotações didáticas. Mais tarde, veio a inspiração para a caricatura e a charge observando trabalhos dos irmãos Caruso, do Glauco e Ique.

> Caricaturista do CE participa de livro que homenageia Ziraldo 

Cláudio lembra que o desenhista ícone de inspiração é o norte-americano, Will Eisner, criador do 'Spirit'. Tiras de jornais, desenhos em revistas inundaram a mente do menino que não parava de fazer esboços e criar histórias em quadrinhos. Aos poucos, descobriu que levava jeito para o retrato e para a caricatura. Começou retratando o avô, Antônio Alves Teixeira, o contador de histórias, e o pai, o seresteiro Hélio Teixeira.

Humberto Teixeira

Cláudio é de uma família de artistas, que tem como principal referência o compositor Humberto Teixeira. "Somos parentes", ri. Ele também herdou o talento do pai para a música, e já tocou cavaquinho, guitarra e violão, em bandas locais. Atualmente, mantém uma bandinha de blues. O desenho aos poucos conquistou a preferência do artista.

Recebeu uma proposta para fazer o retrato do prefeito Roberto Costa. O trabalho foi aprovado e vieram outras encomendas de empresários e políticos locais.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.