Missa das Cinzas

Católicos celebram o início da Quaresma

02:06 · 23.02.2012
Na manhã de ontem, o bispo D. João Costa presidiu a missa das Cinzas, em Iguatu
Na manhã de ontem, o bispo D. João Costa presidiu a missa das Cinzas, em Iguatu ( FOTO: HONÓRIO BARBOSA )
Durante os próximos 40 dias, os fiéis se dedicarão a um período propício à conversão, reflexão e caridade

Iguatu Depois de quatro dias de carnaval, os católicos agora são chamados para participar de um período de jejum, esmola e oração. É a Quaresma, que começou, ontem, com a Missa da Quarta-Feira de Cinzas, e prossegue pelos próximos 40 dias, até Domingos de Ramos, que abre as celebrações da Semana Santa. É um tempo de preparação para os festejos da Páscoa. Em todas as dioceses e paróquias houve celebração da liturgia das Cinzas em horários variados, pela manhã ou no fim da tarde.

Na manhã de ontem, às 8h, o bispo da Diocese de Iguatu, dom João Costa, presidiu a tradicional missa das Cinzas, na Catedral de São José. A cerimônia consiste em fazer a imposição de cinzas, em forma de cruz, na testa dos fiéis. O ato é sinal de penitência. O celebrante, ao impor as cinzas, expressa "convertei-vos e crede no Evangelho".

Dom João Costa lembrou que a Quaresma é um período propício para conversão, reflexão e caridade. "É um tempo de retiro espiritual, de preparação e crescimento na fé", destacou. O bispo observou que os cristãos são convocados, neste período, a ter atitudes concretas. Ele também ressaltou a prática da esmola, da oração e do jejum.

"Ainda há pessoas que vivem na miséria e passam fome, vivenciam um jejum diário", disse. "Temos de ter uma atitude concreta em face do irmão necessitado", complementou. A aposentada Francisca Souza manteve a tradição de mais de três décadas e disse que participa da missa da Quarta-Feira de Cinzas como forma de crescimento na fé.

"É um gesto de arrependimento", frisou. O uso das cinzas tem origem no Antigo Testamento e simboliza penitência. Atualmente, é um gesto de reconhecimento das falhas e pecado.

O bispo conclamou os católicos a aproveitar a Quaresma para fazerem uma verdadeira mudança, seguindo as orientações do Evangelho. "Somos convidados à conversão, mudando a maneira de ver, pensar e agir", disse. "Esse é o chamamento que a Igreja Católica faz neste período". Todos os celebrantes seguem a tradição e lembram aos católicos que procurem ter atitudes concretas de mudança para seguir o caminho, os ensinamentos de Jesus Cristo.

No período da Quaresma, a Igreja Católica lança a Campanha da Fraternidade (CF), que, neste ano, tem como tema "Fraternidade e Saúde Pública" e como lema "Que a saúde se difunda sobre a Terra". Ontem, ao meio-dia, em rede de emissoras de rádio, o bispo da Diocese de Iguatu, dom João Costa, fez o lançamento da campanha, realizada todos os anos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Problemática

Dom João Costa observou que o objetivo da Igreja Católica é discutir e refletir com a sociedade a grave situação vivenciada na saúde pública. "É uma vergonha um país que se destaca no crescimento econômico, mas apresenta um quadro nacional de precariedade, de falta de assistência na saúde pública", observou. "A Igreja quer que todos tomem consciência dessa questão, da dificuldade de atendimento nos hospitais e clínicas com longa demora na realização de exames e de procedimentos médicos".

O bispo tratou da realidade caótica vivenciada na saúde pública e disse que os usuários do SUS enfrentam a dor provocada pela doença e pela falta de assistência. "Essa realidade nos incomoda bastante", disse. "É preciso aplicação correta dos recursos públicos e melhoria da saúde pública, pois não se justifica a falta de leitos e até de macas em hospitais". "É preciso sensibilizar os cristãos a se envolver com esse problema de forma mais direta para buscar solução e ser solidários com os enfermos".

Uma "atualização" do sofrimento enfrentado por Jesus Cristo foi proposta pelo bispo da Diocese de Iguatu. "Devemos enxergar no irmão que sofre, que está doente, o sofrimento enfrentado por Cristo, para nos salvar", disse. "Visitar os doentes, ser solidários com os enfermos é o nosso dever". Dom João Costa cobrou dos políticos ações efetivas para melhoria e humanização do atendimento na rede do Sistema Único de Saúde a partir da aplicação de políticas públicas de forma honesta e eficaz. O lançamento da CF ocorreu no estúdio da Antena Sul FM, com participação das rádios "Liberdade AM" e "Jornal Centro-Sul AM". Durante a Quaresma, religiosos e leigos apresentarão, em reuniões de pastorais e em missas, reflexões sobre a realidade da saúde pública em cada localidade.

Mais informações

Cúria Diocesana de Iguatu

Rua Evaldo Gouveia, S/N

Bairro Tabuleiro

Telefone: (88) 3581.0731

FIQUE POR DENTRO

Período é de preparação para a Páscoa

A Quaresma é um tempo de preparação para a Páscoa. De acordo com a Igreja Católica, as cinzas impostas sobre a cabeça dos fiéis são para lembrar ao homem que ele foi feito do pó da terra e que em pó ele vai se tornar, quando morrer. As cinzas usadas ontem foram obtidas, segundo a tradição da Igreja Católica, da queima das palmas bentas do Domingo de Ramos, do ano anterior. O ato é sinal de penitência e de arrependimento das culpas cometidas. A Igreja Católica recomenda o jejum de carne na Quarta-Feira de Cinzas e na Sexta-feira da Semana Santa. Nesse período, há recomendação também da prática de caridade, perdão, esmolas e solidariedade aos necessitados. O bispo da Diocese de Iguatu, dom João Costa convidou os presentes a fazer um jejum rico na fé em Jesus Cristo, seguindo os seus ensinamentos. Para a Igreja Católica, receber cinzas é um sinal claro e aberto para a sociedade de arrependimento e de humildade por parte do fiel.

HONÓRIO BARBOSA
REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.