LITORAL OESTE

Cães são sacrificados à véspera do Carnaval

01:07 · 13.02.2010
( )
A veterinária da Uipa, Marilac Alencar, recebeu denúncia e foi até o local verificar as condições da eutanásia, em Paraipaba

Fortaleza Na manhã de ontem, 26 cães foram sacrificados no município de Paraipaba, a 92 quilômetros de Fortaleza. A veterinária da União Internacional Protetora dos Animais (Uipa), Marilac Maria Arnaldo Alencar, foi ao local depois de uma denúncia. De acordo com ela, os animais estavam em um local inadequado e a eutanásia ia acontecer sem a presença de um veterinário. "Eu me identifiquei e disse que só iriam fazer o procedimento se um veterinário estivesse presente. Então, eles chamaram o profissional".

Segundo ela, até o momento em que esteve no local, 13 cães foram eutanasiados. O trabalho foi suspenso porque faltou anestésico. "Naquele momento, não dava para ter certeza de que eles estavam doentes. Alguns tinham feridas, outros estavam sem sintomas de doença", disse a médica veterinária.

O coordenador da Vigilância Sanitária de Paraipaba e veterinário, Rodolfo Paiva, disse que chegou ao local 6h30 e o procedimento só iria acontecer com a sua presença. "Foram 26 sacrificados.14 animais foram doados. Quando isso acontece é porque estão doentes e os donos não querem mais tratá-los. A última captura que teve foi em novembro. Essa agora foi devido ao Carnaval, para evitar acidentes e até agressões". Sobre o local, Rodolfo disse que é o canil disponibilizado pelo município.

Ele ainda informou que depois de capturados, espera-se 48 horas. Alguns donos resgatam os cães, outros não. "Depois do sacrifício, são levados para o aterro sanitário e enterrados".

Alguns dos animais eram de Paracuru. De acordo com o diretor da Vigilância Sanitária deste município, Roberto Cláudio, por ainda não ter canil, faz parceria com outras cidades. "Fizemos parceria com Paraipaba. Lá, têm dois veterinários e a gente também envia um daqui. Se nenhum foi encontrado, temos que averiguar. Não é autorizado o sacrifício sem a presença de um profissional". Ele ainda acrescentou que os animais enviados são os que têm problemas. "Informamos aos laçadores que peguem somente aqueles sem condições. Os sadios não. Mas o problema é que alguns donos deixam os animais soltos. Quando isso acontece, aconselhamos aos fiscais que devolvam para os donos".

Para Marilac, a eutanásia na véspera do Carnaval merece reflexão. "Por que estes inocentes têm que ser eliminados para que foliões possam passar seu Carnaval sem a presença destas criaturas tão especiais? Como veterinária, sei que animais errantes podem causar transtornos à população, mas não acho justo um extermínio em massa às véspera do Carnaval para mascarar uma situação que as prefeituras não querem que seja vista pelo turista".

MAIS INFORMAÇÕES
Vigilância Sanitária do município de Paraipaba
(85) 3363.1376
Paracuru: (85) 3344.8809

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.