Patrimônio histórico

Aracati recebe o Teatro Francisca Clotilde renovado

O equipamento foi entregue totalmente reformado e otimizado, com aparatos de última geração

Com orçamento de R$ 2,13 milhões, do governo federal, a obra recuperou completamente o edifício do teatro, adequando seu espaço cênico ( Fotos: Kid Júnior )
00:00 · 27.01.2018 por Patrício Lima - Repórter

Aracati. Após anos de reformas e paralisações, a população deste Município do Litoral Leste do Ceará, recebeu de volta, na noite desta sexta-feira (26), o seu mais importante e tradicional equipamento cultural: o Teatro Francisca Clotilde. O equipamento foi entregue totalmente reformado e otimizado, com aparatos de última geração. A obra de restauração foi promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com a Prefeitura. A cerimônia contou ainda com a apresentação da Banda Municipal Jaques Klein e do músico cearense Waldonys.

Com orçamento de R$ 2,13 milhões, do Programa Avançar, do governo federal, a obra recuperou completamente o edifício do teatro, adequando seu espaço cênico. A intervenção também foi acompanhada de ampla pesquisa arqueológica, que encontrou vestígios da ocupação anterior ao teatro e também o primeiro palco ali existente, enterrado a cerca de 1,2 metros de profundidade, e que agora está aberto à visitação. O novo espaço conta com sala de espetáculo e projeção, foyer (local de exposições), espaço multiuso, pátio ajardinado, camarote, depósito e contrarregra, caixa cênica com urdimentos e camarins.

Para o prefeito Bismarck Maia, a revitalização do equipamento é um presente para a população. "O retorno do teatro Francisca Clotilde era um sonho da população. Quando eu era criança, como tantos outros aracatienses, frequentava o espaço. Aracati tem uma vocação muito grande para a cultura. Temos peças teatrais, poesia e grupos culturais de ótima qualidade, das mais variadas áreas", diz.

Ainda segundo ele, a Prefeitura fará um edital de ocupação do Teatro. Ele normatizará a utilização do espaço para que grupos teatrais, de dança, de música e outras linguagens artísticas que necessitem de um palco para apresentação de seus trabalhos possam realizar seus espetáculos. "O ideal é unir poder público e artistas numa gestão eficiente para o crescimento das artes e tradições aracatienses, e queremos fazer de forma transparente, diversa e democrática", complementa.

A titular da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de Aracati, Denise Pontes, lembra que o equipamento é o único remanescente dos três teatros que existiam na cidade. "A intervenção devolve ao espaço condições plenas para atender às demandas dos grupos locais, receber turistas e ainda promover a valorização e maior utilização do centro histórico", afirma.

Desapropriação

Em 2008, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) requereu à Prefeitura de Aracati a desapropriação do Teatro e que fossem realizados os serviços necessários para a sua consolidação, com a finalidade de que ele cumprisse sua vocação como importante instrumento para o fomento da arte e cultura. Em maio de 2008, por meio do decreto Nº 0250/2008, o espaço foi declarado de utilidade pública.

História

Localizado no coração do sítio histórico do Município de Aracati, o Teatro Francisca Clotilde é um edifício do século XVIII, adaptado como equipamento cultural no início do século XX, pelo Círculo Operário São José, que atuou durante décadas junto à classe operária da cidade. Anos mais tarde, o artista plástico aracatiense Hélio Santos batizou o espaço com o nome de Francisca Clotilde, em homenagem à escritora, educadora e jornalista cearense, que participou da campanha abolicionista, e foi defensora da emancipação feminina. Destinado a apresentações teatrais, o edifício também foi utilizado como cineteatro.

Com o passar do tempo, o teatro passou a funcionar em situação precária e sua estrutura começou a se deteriorar. Foi, então, iniciada a campanha "O espetáculo não pode parar", em 2007, a fim de sensibilizar a comunidade local e o poder público para a preservação daquele espaço histórico.

No ano seguinte, o edifício foi desapropriado pela Prefeitura, que realizou obras emergenciais de consolidação e estabilização estrutural; daí, o Iphan assumiu compromisso para elaboração de um projeto de restauro que contemplasse as necessidades do local.

Bismarck Maia afirma, ainda, que dará prosseguimento a ações de preservação do patrimônio histórico do Município. "Além do teatro, estamos em processo de revitalização de outros espaços da cidade de grande importância histórica, como a casa do poeta Adolfo Caminha, igrejas e o Aracati Clube", diz.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.