transferência

Alunos de colégio próximo à cadeia irão para outro imóvel

00:00 · 15.03.2018 por Honório Barbosa - Colaborador

Cedro. Moradores desta cidade, na região Centro-Sul do Ceará, estão preocupados com a decisão da Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus) que transferiu mais de 60 presos para a Cadeia Pública local. O problema agrava-se porque o presídio fica ao lado da Escola de Ensino Fundamental Francisca de Jesus Cavalcanti que tem matriculados 283 alunos de dois a 12 anos que serão transferidos.

A medida causou apreensão entre os moradores e os gestores do Município, que temem a ocorrência de uma rebelião, tentativa de resgate de presos e possível tiroteio. A secretaria de Educação do Município, na quinta-feira passada, após a chegada dos presos de outras cidades da região, suspendeu as aulas. "Agimos para proteger as nossas crianças", frisou o prefeito Nilson Diniz. "A população está assustada". A decisão da Sejus causou surpresa entre os moradores e autoridades. Inicialmente, a pasta suspendeu visitas sociais e íntimas em dez cadeias da região Centro-Sul do Ceará e, em seguida, determinou a transferência de pelo menos 60 presos para a unidade de Cedro, após o assassinato de um agente prisional na cidade de Orós.

A aluna Tainá Lima, 9 anos, da escola cujas aulas foram suspensas, disse que espera logo o retorno das atividades escolares. "Quero estudar, aprender", disse. A mãe dela, Francisca Geane Lima, lamenta a perda de aula, mas disse que há o temor de uma confusão e uma bala perdida atingir alguma criança. "A gente está com medo e preocupada com a situação", pontuou.

De acordo com a Sejus, foram transferidos presos das cidades de Orós, Ipaumirim e Lavras da Mangabeira. Os familiares dos detentos não têm informações sobre a situação deles, na unidade de Cedro.

A Sejus informou também que detentos foram transferidos para a Região Metropolitana de Fortaleza e para Cedro com o objetivo de dar maior segurança e regionalizar as unidades prisionais. Informou ainda que o número de agentes prisionais aumentou na cadeia de Cedro.

A secretária de Educação de Cedro, Esmeraldina Bezerra, informou que na próxima semana as aulas serão retomadas no Centro Social Urbano (CSU) para os 283 alunos da Escola de Ensino Fundamental Francisca de Jesus Cavalcanti. "Os alunos não podem ficar prejudicados, com vários dias sem aulas, e tínhamos que encontrar uma alternativa".

"Procurei a secretária Socorro França, da Sejus, e ela explicou que Cedro era a cadeia de melhor condição na região, mas não sabia da existência da escola. A secretária disse que haveria um reforço de cinco ou seis agentes penitenciários por equipe", frisou o prefeito Nilson Diniz.

A cadeia que estava lotada ficou superlotada, mas não há informação sobre reforço de policiais militares para destacamento local. O juiz de Direito da comarca de Cedro, Carlos Eduardo Carvalho Arrais, proibiu o ingresso de novos presos no presídio de Cedro. O delegado de Polícia Civil local, Caio Tomazini, disse que a responsabilidade de custódia de todos os presos é da Sejus .

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.