'Hora de Plantar'

Agricultores já estão recebendo sementes

Tanto o governador, que visitou o Sítio Conceição, quanto os agricultores demonstraram otimismo em relação às chuvas ( Foto: Carlos Gibaja/Governo do Ceará )
00:00 · 19.01.2018

Morada Nova. Na manhã dessa quinta-feira, o governador do Ceará, Camilo Santana, lançou oficialmente, nesta cidade do Vale do Jaguaribe, a 31ª edição do Programa Hora de Plantar, com investimento de mais de R$ 17 milhões, beneficiando cerca de 150 mil trabalhadores em 182 municípios, ficando de fora apenas Fortaleza e Eusébio, que não dispõem de zona rural. Na ocasião, também foram assinados os termos de adesão do Garantia-Safra 2017-2018.

O agricultor Jurandir Nogueira, de Morada Nova, não escondeu a felicidade por ser um dos beneficiados. "Estou alegre, acreditando que as chuvas vão chegar e que teremos legume para colher", afirmou. Em meio aos colegas, Nogueira cantava e dançava antes do início da solenidade de lançamento. A distribuição de sementes aos agricultores de base familiar é uma ação governamental que existe há mais de três décadas, e tem por objetivo apoiar a produção de grãos de sequeiro (plantio que depende exclusivamente da chuva) no sertão cearense.

Os agricultores esperam boas chuvas e boa safra. O governador Camilo Santana também mostrou confiança de que a quadra chuvosa será favorável à produção agrícola. "Tenho um carinho muito grande por esse Programa Hora de Plantar. Quem criou foi meu pai, Eudoro Santana", recordou. "Tenho a honra de 22 anos depois, ter sido secretário do Desenvolvimento Agrário e dobrarmos o alcance do programa".

Camilo Santana destacou a importância de distribuir sementes e mudas frutíferas para gerar fonte de renda para o campo e de adesão ao programa Garantia Safra, que ampliou de 120 mil para 350 mil vagas.

"É o Estado com maior número de participação no Brasil", destacou. "Esses dois programas ajudam os agricultores a superar as dificuldades no período de seca", finalizou.

Nesta edição do Hora de Plantar, serão entregues 3.030 toneladas de sementes, 6,5 milhões de raquetes de palma forrageira, 400 mil mudas de cajueiro anão precoce, 170 mil mudas de essências florestais nativas, exóticas e nativas e 5.000 m3 de maniva de mandioca.

Um dos destaques de 2018 é a distribuição de mudas frutíferas. O investimento é do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop). (H.B.)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.