IRRIGAÇÃO INTELIGENTE

Agricultor cria modelo de reutilização da água na roça

A criatividade do agricultor foi aguçada em virtude da escassez de água na região onde vive e produz

Deusimar Cândido de Oliveira utiliza a água do criatório de peixes para irrigar sua produção e implantou um sistema de hortas suspenso ( Fotos: Alex Pimentel )
00:00 · 07.10.2017 por Alex Pimentel - Colaborador

Quixeramobim. Para o agricultor, a água é a maior riqueza natural. Onde é escassa a maior parte do ano, se torna ainda mais preciosa. Não desperdiçar é regra, não somente para a sobrevivência humana, mas também para a produção no campo.

Seguindo esse raciocínio, o pequeno produtor rural Deusimar Cândido de Oliveira, 52, encontrou uma alternativa interessante para o reúso da água, que antes de chegar à irrigação das plantações, está sendo utilizada para a criação de peixes. Ele denomina a invenção como "De volta para o meu sertão".

Quando as últimas nuvens carregadas foram desaparecendo no horizonte, no fechamento da quadra chuvosa deste ano, a única salvação para irrigação da plantação de mamão de Deusimar ficou no poço profundo perfurado no sítio.

Os pequenos açudes da localidade não acumularam água. Com vazão de 6 mil litros por hora, o poço passou a ser a única fonte de alimentação dos dois mil mamoeiros. Mas, quanto mais escassa a riqueza, mais valiosa se torna, encontrou essa maneira de multiplicá-la.

Usos múltiplos

Agora, a água não vai direto para o campo. Antes, é utilizada na criação de tilápia, uma espécie de peixe de água doce muito apreciada à mesa do nordestino. No processo, com a ração e as fezes dos cardumes confinados, fica rica em nutrientes para os vegetais. Além da multiplicação produtiva, na água e no solo, ele economiza na aquisição de adubos e até de defensores químicos para a plantação. Completando a cadeia de produção. Noutros dois tanques ele produz biofertilizantes.

O sistema consiste na construção de três tanques em forma de cilindro com capacidade par 36 mil litros cada; em equipamentos de oxigenação da água, inclusive com uma turbina, tudo funcionando com corrente de 12 volts, e chaves de distribuição para a tubulação de 50 milímetros até a área de plantio.

Quanto ao bombeamento da água, para reduzir os custos na produção, é alimentado por meio da captação de energia solar. Os painéis fotovoltaicos foram fornecidos pela Empresa de Assitência Técnica e Extensão Rural (Ematerce), para o projeto piloto, acrescentou o inventor.

Na área dos tanques de criação dos peixes ainda foram instalados refletores e câmeras de vigilância. "É que pegar peixe aqui agora é muito fácil. Basta jogar o anzol, a tarrafa ou até mesmo com uma pequena porção de ração, aguardar um pouquinho e pegar com a mão.

São mais de 50 mil peixes, 45 por metro cúbico. Em matéria de produção, já estamos sendo 10% mais eficientes que os japoneses na criação de peixes em cativeiro", comemora, ressaltando o investimento de R$ 10 mil e fazendo os cálculos para a "colheita na água". Dentro de pouco mais de quatro meses o faturamento será de R$ 25 mil, pagando os custos de instalação e ainda gerando lucro.

O modelo foi criado e implantado por Deusimar há pouco mais de três meses, em 1,5 hectares da sua propriedade, no Vale do Forquilha, uma região rural situada a pouco mais de 30Km do Centro de Quixeramobim, no Sertão Central.

Entretanto, apesar do pouco tempo, já está chamando atenção de outros pequenos produtores e até do presidente da Ematerce, Antônio Rodrigues de Amorim. Ele elogia a iniciativa e a coragem do pequeno produtor, que em breve deverá se multiplicar por todo o Estado. Será mais um avanço no convívio e, principalmente, no empreendedorismo rural.

Quem também ficou entusiasmado com a ideia foi o diretor regional da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece), Militão de Almeida.

Com mais de 20 mil associados, vocacionados à agricultura familiar, também sujeitos à escassez de água a maior parte do ano, essa agregação produtiva com certeza será utilizada por muitos. "É a melhor invenção para quem vive no campo após o surgimento das cisternas e das mandalas", destacou.

Aquaponia

Não satisfeito com a riqueza na transformação da água, Deusimar ainda implantou um sistema de cultivo suspenso de hortaliças. Esse processo é conhecido por muitos como hidroponia, entretanto, de acordo com o inventor rural, nele há necessidade de inclusão dos insumos minerais para alimentar os vegetais.

No caso da aquaponia, a água já chega com os ingredientes necessários na água para alimentar a planta. Ele encontrou o modelo na internet. Agora avalia a experiência em uma pequena estufa, também ao lado do criatório dos peixes.

Orgulhoso com os seus feitos, o produtor destaca outro valor muito apreciado pelos consumidores, do alimento natural. Tanto as frutas como as hortaliças não recebem nenhum tipo de fertilização ou produção química industrializada.

Apesar do pouco período, não foram afetados por nenhum tipo de praga. O acompanhamento está sendo feito e com os resultados, sendo produtivas, as hortaliças serão mais um produto comercializado pela sua empresa rural, a Frutos do Sertão.

Reconhecimento

"A criatividade de Deusimar vai incrementar ainda mais a cadeia produtiva rural. É uma ideia digna de elogios"

Antônio Rodrigues de Amorim. Presidente da Ematerce

"A iniciativa de Deusimar vai mudar a forma de se conviver com a seca. Com essa criatividade, o sertanejo se fortalece"

Militão de Almeida. Diretor da Fetraece no Sertão Central

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.