Zona Norte

Aeroporto de Jericoacoara fica pronto no 2º semestre

00:28 · 19.04.2013

Município de Cruz, sede do empreendimento, já lidera ações na região para melhor capacitar a mão de obra

Cruz. O Aeroporto Internacional de Jericoacoara, localizado no município de Cruz, já tem sua pista de pouso e decolagem concluída. Com o investimento de R$ 47,4 milhões, oferece 2,2 mil metros de extensão e capacidade para 1.200 voos por ano. É a segunda maior pista do Estado. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Cruz possui uma média de 600 mil turistas por ano. A previsão de término da obra é no segundo semestre deste ano.

A pista de pouso e decolagem já está pronta, com 2,2 mil metros de extensão. Foto: Jéssyca Rodrigues

A escolha pelo município de Cruz, com sede a 25km de distancia para o empreendimento, se deu devido à Praia de Jericoacoara ser cercada pelo Parque Nacional de Dunas, o que demanda ações de preservação ambiental. Com o aeroporto, a viagem entre Fortaleza e a praia mais procurada do Ceará passará de seis horas de carro para apenas uma hora de voo.

Além dos turistas, a Secretaria de Turismo do Estado do Ceará (Setur) assegura que o aeroporto servirá também para o escoamento de produção agrícola da Região Norte e da Serra da Ibiapaba, principalmente no que se refere à produção agrícola e à exportação de flores e frutas para a Europa.

A obra da pista, a cargo da Setur, recebeu recursos oriundos Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal (Proinvest), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes).

Essa foi apenas a primeira etapa de obras. O terminal de passageiros tem conclusão prevista para o segundo semestre deste ano, com investimentos estimados em R$ 11,4 milhões. O projeto prevê um terminal de passageiros com arquitetura rústica, com detalhes e janelas em parede de vidro e cobertura de taubilhas, uma espécie de telha de madeira.

Para driblar a distancia de 18km de Jijoca de Jericoacoara e 25km da sede Cruz, o secretário de Turismo, Indústria e Comércio do município de Cruz, Agnaldo de Menezes, diz que está sendo discutida a implantação de uma linha de táxi e vans que façam o transporte entre aeroporto e sedes, além da linha de veículos 4x4 que levariam direto às praias de Jericoacoara e Preá, localidade de Cruz.

“O assunto, assim como outros que tangem à chegada do aeroporto, vêm sendo discutido amplamente. Associações e cooperativas já tem se apresentado para ocupar essas linhas. Representantes das classes e órgãos responsáveis, como as Secretarias de Turismo de Jijoca e Cruz, já estão se reunindo”, diz ele.

Conforme explica, um empreendimento desse porte veio para atender toda a região, não apenas trazendo turistas, como também servindo como alternativa para a população local que busca um meio mais rápido de chegar à Capital. Para tanto, ele ressalta que cada ação deve ser pensada em conjunto regional, abrangendo diversos órgãos de vários municípios. “O aeroporto servirá para toda Rota da Emoção, que compreende Maranhão, Piauí e Ceará. Tudo vem sendo trabalhado em parceiras. Temos planos para reabrir o Fórum do Turismo”.

Desafios

Agnaldo conta que sabe da existência de diversos desafios que virão, como infraestrutura e pessoal. Uma de suas metas é trabalhar com o Turismo Sustentável e ter em cada município o Conselho de Desenvolvimento do Turismo. “Outro ponto vai ser evitar a aculturação dentro da região beneficiada. Esse é um dos grandes riscos que o intenso movimento, tanto de turistas quando de pessoas que poderão chegar aqui, podem trazer”.

Exploração de mão de obra infantil, prostituição e aumento no número de acidentes também foram lembrados por ele, que considera mais um desafio que pode ser vencido. “Com políticas públicas, especialização de mão de obra, conscientização da população e constante fiscalização, esses aspectos negativos serão evitados”.

De acordo com o secretário municipal, o Aeroporto Internacional de Jericoacoara veio como uma maneira de corrigir o Índice de Desenvolvimento Humano da região, apontado como o mais baixo do país.

Ele conta ainda que, em maio, deve ocorrer mais uma reunião para tratar dos impactos e oportunidades que virão. “O Seminário sobre as oportunidades ocorrerá com o apoio da Assembleia Legislativa. Vamos tratar de assuntos como capacitação da mão de obra, educação dos moradores e otimização de tempo de locomoção na região. Um diário de atendimento com fluxo turístico para dados concretos das cidades também é algo que deve ser estudado”.

Recursos
47,7 milhões de reais foram investidos na construção da pista, já concluída. O terminal de passageiros demandará verba de mais R$ 11,4 milhões.

Mais informações
Secretaria Estadual de Turismo Centro Administrativo Gov. Virgílio Távora - Ed. Seplan
Fortaleza - (85) 3101.4688 www.setur.ce.gov.br

Jéssyca Rodrigues
Colaboradora

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.