Açudes Taquara e Figueiredo recebem R$ 15 mi - Regional - Diário do Nordeste

Continuidade de Obras

Açudes Taquara e Figueiredo recebem R$ 15 mi

03.01.2009

Os recursos liberados para as duas barragens, garantem a continuidade das obras nos primeiros meses de 2009

A Casa Civil assegurou a inclusão dos açudes no PAC até 2010
Fortaleza. A diretora de Infraestrutura Hídrica do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Cristina Peleteiro, informou que foram liberados R$ 15 milhões para a continuidade das obras de construção de duas barragens no Estado do Ceará: Taquara, localizada no município de Cariré, e Figueiredo, que fica situada em Alto Santo. Os recursos, oriundos do Ministério da Integração Nacional, segundo Cristina, garantem a continuidade dos empreendimentos nos primeiros meses do ano, de janeiro até fevereiro.

Do total, caberão R$ 7,5 milhões às obras no Açude Taquara, que terá capacidade de acumulação de 274 milhões de metros cúbicos com o barramento do Rio Jaibaras, no Vale do Acaraú. Os outros R$ 7,5 milhões são destinados à continuidade da construção do Açude Figueiredo, com capacidade para acumular 519 milhões de metros cúbicos com a barragem no Rio Figueiredo, afluente do Rio Jaguaribe.

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, assegurou ao ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, a inclusão dos empreendimentos dos açudes Taquara e Figueiredo no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) até 2010. Informou ainda que foram garantidos R$ 300 milhões para as duas obras, o que inclui ações de reassentamento, desapropriação e, também, a parte ambiental das obras.

De acordo com Cristina Peleteiro, a abordagem dos empreendimentos do PAC envolve as vertentes social, ambiental e de engenharia, que incluem projeto e obra.

O engenheiro do Dnocs, Getúlio Maia, da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento das barragens Taquara e Figueiredo, disse que, nas duas obras, já foram executados cerca de 30% do cronograma. “Com certeza, o prazo para conclusão das duas barragens será atendido da forma contratual, podendo ser antecipado se os recursos forem garantidos”, informou ele.

Redução de trabalho
Getúlio Maia assinala que nas duas obras não houve paralisação oficial nem de serviço total, mas uma redução, mantendo o ritmo de conservação e preservação, aguardando o momento para acelerar. “Não houve desmobilização nem de equipe nem de pessoal. Com os recursos empenhados, vai ser acelerado o serviço. Existe patrulha de equipamentos e gente com domínio de como o projeto deve ser executado sem problema”.

O engenheiro Joaquim Francisco de Souza Neto, diretor da VBA, empresa de consultoria responsável pela supervisão das obras da Barragem Figueiredo, avalia que a liberação dos R$ 7,5 milhões “permite a continuidade do açude e evita o prejuízo da desmobilização. Dá um oxigênio de dois meses para o Figueiredo”, afirmou. Souza Neto considera que, com o aporte de recursos, o andamento da obra segue em regime normal enquanto espera a entrada para o PAC.

O engenheiro Francisco das Chagas Olinda Fernandes, da KL, a empresa contratada pelo Dnocs para prestar consultoria na supervisão das obras da Barragem Taquara, avalia de modo positivo o anúncio da liberação de R$ 7,5 milhões para a continuidade da obra. “Com certeza, a continuidade é de grande valia para a região, mesmo num período chuvoso. Parando, seria pior. A obra tem de continuar para terminar”, afirmou o engenheiro.

CONCLUSÃO
Com certeza, o prazo para conclusão das duas barragens será atendido da forma contratual´
Getúlio Maia
Engenheiro do Dnocs

Mais informações:
Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs)
Av. Duque de Caxias 1700, Centro - Fortaleza
( 85 ) 32885100/ 32885200

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999