Levantamento

Violência domina pronunciamentos de parlamentares na AL em 2017

01:00 · 29.12.2017
Image-0-Artigo-2343452-1
Heitor Férrer foi um dos que mais trataram da Saúde, outro tema entre os mais pautados ( Foto: José Leomar )

No ano de 2017, em que o Ceará atingiu a marca histórica de cinco mil assassinatos registrados até o último dia 24 de dezembro, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a violência ficou no topo da lista de assuntos mais debatidos pelos deputados na tribuna da Assembleia Legislativa. Levantamento realizado pelo Diário do Nordeste no portal da Casa, considerando as atas de, pelo menos, três sessões plenárias realizadas em cada mês, mostra que o tema da Segurança Pública foi levado ao Plenário 13 de Maio, no mínimo, 28 vezes.

Os discursos se revezaram entre cobranças ao governo cearense por resultados e ações mais efetivas e ao governo federal, em torno da articulação de um Plano Nacional de Segurança que envolva os estados. Depois da Segurança, Saúde, Educação, Crise Hídrica e questões nacionais figuram entre os temas mais abordados pelos parlamentares.

Um dos deputados que mais militaram na área da Segurança Pública em 2017, Ely Aguiar (PSDC), acredita que o tema continuará sendo "marcante" no ano que vem, porque "está incomodando as pessoas e o Ceará está na lista negra" dos estados mais violentos do País.

Embora reconheça que o governo não tem sido "omisso" no enfrentamento da violência, Ely Aguiar afirma que as operações de combate à criminalidade não têm tido o efeito desejado. Ele reclama que só depois de oito anos na Casa um projeto de lei de sua autoria, criando o Batalhão de Divisas, foi acolhido pelo governador. "Você não combate (a criminalidade) com repressão, políticas sociais também devem prevalecer e essa será nossa bandeira. A população não aguenta mais e o governo tem que encontrar uma solução".

Aliado da gestão estadual, Manoel Santana (PT), que também destacou em discursos a questão da Segurança, admite que o governador Camilo Santana (PT) "está fazendo a sua parte", mas diz ser necessário investir mais na Polícia investigativa. "Devem estar nas ruas, no primeiro semestre do ano que vem, 4.200 novos policiais no Ceará, mas é preciso, na nossa ótica, melhorar a questão da investigação".

O petista também subiu à tribuna, neste ano, para falar sobre Educação, área que considera ter resultados positivos no Estado, e para criticar as reformas Trabalhista e Previdenciária, encabeçadas pelo governo federal. Conforme o levantamento, esses dois temas nacionais foram comentados por deputados ao menos dez vezes em 2017. Entraram na pauta dos debates, ainda, questões como a Operação Lava-Jato e a Reforma Política.

Seca

No entanto, depois da violência, o tema que mais dominou discursos foi a Saúde, tendo sido citada ao menos 18 vezes na tribuna. Heitor Férrer (PSB) foi um dos que mais cobraram melhorias nesse setor e disse que, "enquanto não tiver solução, vamos, sistematicamente, cobrar".

Heitor Férrer também frisou que vai intensificar as cobranças por soluções para a crise hídrica no Estado. A seca, aliás, pautou pelo menos 11 pronunciamentos de parlamentares, dentre eles, Renato Roseno (PSOL), que critica o modelo de distribuição da água no Estado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.