Infidelidade

Vereadores fazem defesa na Câmara

01:00 · 08.06.2018 / atualizado às 01:40

O vereador Soldado Noélio (PROS) foi à tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, ontem, defender a sua saída do PR, pelo qual foi eleito em 2016. Ele é alvo de ação do Ministério Público Eleitoral (MPE), acusado de infidelidade partidária. De acordo com Noélio, sua saída do PR não foi por conveniência, mas pelo fato de o partido ter se aliado com o Governo do Estado, quando antes era oposição.

"Meu nome aparece no Ministério Público não por casos de corrupção, de improbidade, de desvio de verba pública, mas pela minha coerência", disse. De acordo com ele, sua saída da legenda ocorreu porque o PR "não respeitou o voto das pessoas que votaram no Soldado Noélio para fazer oposição nessa Casa". O parlamentar afirma que ainda não foi notificado do processo.

Como o Diário do Nordeste revelou ontem, Noélio e seu correligionário, Julierme Sena, atualmente licenciado da Casa, são alvos de ação por parte do MPE. De acordo com Anastácio Nóbrega Tahim Júnior, procurador regional eleitoral, a justificativa da mudança de programa partidário, amparada na legislação, não se aplicaria aos dois parlamentares em razão da pré-candidatura de ambos na disputa deste ano.

O ex-correligionário de Noélio, Idalmir Feitosa (PR), também foi à tribuna da Casa defender os vereadores. Usando os mesmos argumentos, ele alegou que os dois estão amparados pela legislação eleitoral. O parlamentar declarou que a Casa precisa esclarecer à opinião pública que não houve malfeito por parte dos vereadores.

Ele também saiu em defesa de Célio Studart (PV), que tem seu mandato questionado na Justiça por ter deixado o SD, mas por uma suplente desta agremiação. "Quero fazer a defesa na plenitude da soberania desta Casa", sustentou o vereador.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.