Contra fechamentos

Vereador propõe Frente dos Bancos

01:00 · 12.10.2017

O vereador Acrísio Sena (PT) foi à tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, ontem, para criticar a decisão de bancos públicos como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil de fecharem agências. "Isso tem caráter nacional. Se está tirando o caráter indutor dos bancos públicos para favorecer a iniciativa privada". Ele propôs a criação de uma Frente Parlamentar em Defesa dos Bancos Públicos.

O parlamentar lembrou que esses bancos possuem importância para a execução de políticas públicas. "Imagine o Minha Casa, Minha Vida sem a Caixa, o crédito agrícola sem o Banco do Brasil, a pequena, a média e a grande empresa sem o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)", declara. De acordo com o petista, o fechamento de agências e os Planos de Demissão Voluntária (PDVs) são "duas faces de uma mesma moeda".

Sena, que já foi bancário, propôs a realização de audiência pública conjunta com a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará para debater o tema. "Nós não podemos aceitar (os fechamentos de agências). Isso seria entregar, de mão beijada, os bancos públicos como o Banco do Brasil e a Caixa para os conglomerados que estão aí", ressaltou Acrísio.

Esta foi a segunda vez esta semana que o tema do fechamento de agências bancárias foi levado à tribuna da Casa. Na última terça, 10, o segundo vice-presidente da Casa, Didi Mangueira (PDT), já havia feito pronunciamento criticando o anúncio do encerramento das atividades de agência em seu bairro, o Bom Jardim. Segundo ele, trata-se do único banco no bairro.

O parlamentar afirmou que deve ir a Brasília falar com os senadores Tasso Jeireissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB) para tentar evitar que o fechamento aconteça. "Não há como um bairro com mais de 150 mil habitantes ficar em uma situação como esta", disse.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.